Segunda, 03 Setembro 2018 20:44

CONTROLE

Escrito por
Avalie este item
(5 votos)

CONTROLE

“Apesar de tudo, o chefe dos copeiros não se lembrou de José; ao contrário, esqueceu-se completamente dele.” (Gn 40.23)

 

O livro de Gênesis é o livro dos começos e foi escrito por Moisés. Ali estão registrados tudo o que foi criado por Deus. Gênesis narra a queda do homem ao ser enganado pelo diabo e mostra a promessa de Deus pela salvação do mesmo homem (Gn 3.15). Em Gênesis podem ser vistas as doutrinas da imputação do pecado, da justificação, da ira e da graça de Deus e outras mais. Gênesis registra também as histórias de Abraão, Isaque, Jacó e mostra a trajetória de José, filho de Jacó, que se tornou governador do Egito.

Uma coisa que incomoda as pessoas em seus relacionamentos pessoais é quando uns não se lembram dos outros. Ninguém gosta de ser esquecido, mas dentro da ótica humana, esquecer alguém é quase uma prática rotineira, tal o nível de competitividade que o homem tem conduzido sua vida. Vê-se com frequência, pessoas que eram amigos de longas datas, esquecerem-se uns dos outros com muita facilidade.

A narrativa de José é muito conhecida. Uma parte de sua história diz que ele, ainda jovem, foi alvo de ciúmes de seus irmãos e atirado numa cisterna, vendido como escravo acabou aparecendo no palácio de Faraó no Egito e por outras circunstâncias da vida, foi jogado numa prisão. Neste ambiente, Deus lhe concedeu revelar os sonhos de dois colegas presos, sonhos esses que se tornaram realidade. Do colega de prisão, recebeu a promessa de ser lembrado quando esse ganhou a liberdade, mas essa palavra ficou esquecida por longo tempo (Gn 40.14).

Durante este período de esquecimento, pode-se imaginar o que tenha passado na cabeça de José. Certamente que dia após dia, ele imaginava que seria lembrado pelo amigo e teria a chance de sair daquela cadeia e nada acontecia. Assim como José foi esquecido na cadeia, traga para os dias de hoje que muitos vivenciam situação semelhante. Talvez tenham em algum momento do passado ajudado alguém ou até mesmo realizado coisas que propiciaram auxiliar amigos e familiares que estavam passando por situações difíceis, mas a ajuda anterior acabou caindo no esquecimento. Compreenda bem que o homem até carrega dentro de si boas intenções de agradecimento quando enfrenta o caos e as adversidades, mas ao sair dessas turbulências, parece que uma borracha apaga de sua memória o auxílio que ele recebeu. Reflita nisso!

Lembre-se que Jesus curou dez leprosos, mas somente um estrangeiro voltou para agradecer pela oportunidade que lhe fora dada e retornou no minuto seguinte. Somente um não teve apagado de sua mente a cura e o livramento da enfermidade que limitava sua vida (Lc 17.11-19). Certamente que este episódio está entre os maiores sinais de reconhecimento de alguém que foi ajudado na Bíblia.

A narrativa da espera de José é um típico referencial de paciência vivida em situação de grande adversidade.  Estava preso sem culpa e tinha ajudado pessoas que agora não mais se lembravam dele. Pode-se conjeturar que dia após dia, José olhava para a porta da cadeia na expectativa de ali entrar alguém com boas notícias e nada acontecia. Incrível, mas não há nenhum registro de suas lamentações pelo esquecimento, ou seja, diferente de muita gente nos dias de hoje, José enfrentou as adversidades e tribulações em completa confiança em Deus. Reflita isso em sua vida!

“Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti” (Is 49:15). O profeta Isaías deixa claro que o homem esquece sim, de seus amigos, de seus familiares, dos colegas e até mesmo uma mãe, cujo amor é sempre lembrado pela força que possui, pode também vir esquecer-se do filho, mas, Deus não esquece os seus. Os propósitos de Deus para a vida de José incluíam todo o processo que ele passou até ser nomeado governador daquela nação. Deus jamais se esqueceu dele (Gn 41.38-44).

Compreenda, portanto, que nada está fora do controle do Pai. Tenha em seu coração que Deus não te livra das lutas, ELE te sustenta nelas para que os propósitos divinos sejam efetivamente cumpridos. Lembre-se disso!

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

 

Ler 940 vezes Última modificação em Terça, 04 Setembro 2018 15:34
Mais nesta categoria: « SEM TRAUMAS PATERNIDADE »

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE