Segunda, 04 Fevereiro 2019 10:31

PRIORIDADES

Escrito por
Avalie este item
(5 votos)

PRIORIDADES

“Contudo, o rei replicou a Araúna: Não! Eu faço questão de comprar tua eira por preço justo, pois não quero oferecer a Yahweh meu Deus holocaustos que não me custem nada” (2 Sm 24.24)

 

Outrora, o livro de Samuel constituía um só volume, mas quando da tradução das Sagradas Escrituras do hebraico para o grego, os rabinos dividiram o grande livro que se tornaram como nos dias atuais, primeiro e segundo livro de Samuel. Segundo os estudiosos, parte do livro é de autoria do próprio profeta Samuel e depois de sua morte, os profetas Natã e Gade escreveram o restante (1 Sm 25.1). O segundo volume de Samuel traz informações sobre as quedas dos reinos de Judá e Israel e as ações do profeta Eliseu.    

Uma ideia que sempre reinou na mente humana é obter algo de graça, ou seja, não dispender esforços e nem recursos para ter alguma coisa. Parece que possuir sem gastar é sinal de esperteza e glória entre as pessoas. Sempre se ouve falar de alguém que foi esperto o bastante para ganhar alguma coisa de maneira gratuita e, que por ser de graça não prestou o devido valor ao que ganhou.

Saiba que o rei Davi, atendendo aos desejos de sua vontade, determinou que fossem contados todos os homens de seu reino, como se dessa orgulhosa demonstração de seu poderio militar os seus inimigos ficariam temerosos (2 Sm 24.3-4). Mesmo contrariado na realização de seu desejo, a contagem dos homens foi realizada e os números lhe foram apresentados (2 Sm 24.8-9).

Muito provavelmente Davi queria encher-se de orgulho pela quantidade de homens que tinha a disposição para as guerras. Certamente que ele gostaria de demonstrar o seu poder de reação em casos de conflitos, todavia, ele esqueceu que quem dava as vitórias ao povo de Israel era Deus, inclusive nas ocasiões em que Israel estava em menor número de combatentes. Noutras palavras, era Deus quem sustentava. Pense!

Portanto, fazer o censo para gloriar-se em si mesmo foi péssima ideia, era como se dispusesse a dispensar as ações de Deus no meio do povo. A narrativa diz que após a contagem, Davi reconheceu o erro, se arrependeu e Deus usou o profeta Natã para apresentar a retribuição divina pela transgressão. O castigo veio na forma de peste no meio dos homens e ironicamente, Davi que tinha contado seus guerreiros, agora via o número ser diminuído consideravelmente (2 Sm 24.15). Distanciando-se do Criador e vivendo conforme suas paixões, o rei viu que era necessário se reaproximar de Deus.

Compreenda que muitas pessoas possuem uma visão errada sobre a palavra sacrifício, alegam que sacrifício produz sofrimento e traz dores, quando na verdade o sacrifício é justamente aquele que acaba com o sofrimento do coração, alivia a angústia da alma e é por meio do sacrifício que a paz reina, ou seja, por meio do sacrifício o homem se volta para Deus. Para Davi, momentaneamente distante de Deus em decorrência de sua transgressão, era mais que ocasião para realizar o sacrifício.

De igual forma, nos dias atuais, muito embora não existam mais os sacrifícios de animais, entenda que sacrifício é abrir mão de alguma coisa de valor para se aproximar do Pai. “Não ofereço holocausto sem custo” (2 Sm 24.24), foram essas as palavras de Davi, que neste episódio, poderia ganhar o terreno e os animais gratuitamente, sem nenhum custo, mas sabiamente não aceitou. Davi sabia que todo sacrifício tem seu preço, entendia que de graça seu sacrifício não teria valor perante Deus, sabia que havia um preço a pagar e assim ele agiu. Reflita isso!

Atente que nos dias atuais, muitas pessoas querem ter um relacionamento com Deus sem se sacrificarem, sem renunciarem ao pecado e sem observarem que aproximar-se de Deus, exige esforços, desde a caminhada para o templo ao tempo que se dedica em orações e outras práticas espirituais. Saiba que longe de Deus o homem conduz sua vida de maneira descompromissada, mas para achegar-se a Deus há um preço em termos de disponibilidade de tempo, de fé, de renúncia, de obediência e de submissão. Na economia de Deus tudo tem seu preço. A salvação é por meio da graça e da bondade de Deus, mas neste processo cabe ao homem a contrapartida renunciando suas vontades e desejos pessoais. Reflita isso em seu coração!

A narrativa da história diz que Davi comprou o terreno, edificou o altar e não se sacrificou ao Pai à custa de outros. Davi conhecia o valor de sacrificar individualmente e foi esse sacrifício que chamou a atenção de Deus, que por sua vez curou e sarou o povo da peste (2 Sm 24.25).

Veja que o homem é sempre desejoso em receber as bênçãos de Deus de maneira gratuita e sem esforço, quando na verdade é preciso fazer alguma coisa. Lembre-se que Deus não desprezou Davi e nem desconsidera sacrifícios oriundos de um coração quebrantado e contrito, portanto, é justamente por meio dos sacrifícios que o homem mostra quem é prioridade em sua vida. Creia nisso!

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre.

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 1205 vezes Última modificação em Sábado, 09 Fevereiro 2019 08:01
Mais nesta categoria: « GOVERNO CARTAS »

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE