Segunda, 27 Maio 2019 10:27

AMOR

Escrito por
Avalie este item
(2 votos)

AMOR

“E Jesus, olhando para ele, o amou..” (Mc 10.21) 

 

Marcos não foi discípulo de Jesus e segundo os historiadores, sua narrativa teve forte influência do discípulo Pedro, de quem foi ajudante nas viagens missionárias. Pouco ou quase nada se sabe sobre quem foi Marcos, mas há informações bem precisas que a casa para onde foi Pedro após se ver livre da prisão, registrada por Lucas em Atos dos Apóstolos, seria de sua mãe (At 12.12).  Outra informação diz que o anônimo enrolado em um lençol que estava nas proximidades da crucificação de Jesus teria sido o próprio Marcos, conforme seus próprios dizeres (Mc 14.51).

Marcos narrou sobre o encontro de Jesus com um jovem cujo nome não é mencionado, mas deixou sinais claros indicando algumas características sobre este rapaz. Era rico, tinha posses e bens que certamente o diferenciava dos outros rapazes de sua idade e, além disso, era alguém que conhecia bem os mandamentos de Deus, tanto que chegou a citar ao próprio Cristo sobre essa particularidade (Mc 10.20).

Algo muito observado nas pessoas de todas as classes sociais é o sentimento de repulsa quando suas vontades não são plenamente atendidas. Assim, muitas amizades, muitos relacionamentos de longas datas são desfeitos ou estremecidos quando uma das partes não atende ao desejo ou a vontade do outro. O incrível é que este sentimento de repulsa começa desde cedo nas crianças, encontra terreno fértil na mente dos adolescentes e se consolida nos adultos e perdura por longos dias.

Ao ser abordado pelo rapaz endinheirado indagando sobre como faria para herdar a vida eterna, Jesus rapidamente citou os mandamentos que tratam sobre o relacionamento do homem com o seu semelhante e nada disse sobre os deveres do homem para com Deus. De maneira também rápida, o jovem disse que já fazia isso há tempos, ou seja, no entendimento dele, a herança de vida eterna já estava bem encaminhada, pois, tudo o que Cristo lhe disse, ele já realizava há tempos.

Pelas palavras do rapaz ele era um ótimo guardião da lei mosaica, cumpria fielmente o que lhe era devido, mas disse Jesus:  “..vai vende tudo quanto tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me” (Mc 10.21). Bastou tão somente Jesus inserir mais um item na lista dos critérios para ganhar a vida eterna que ele se indispôs em fazer a vontade de Jesus.

Perceba que desde pequenas, as pessoas são moldadas a terem suas vontades atendidas, desde os desejos por doces e guloseimas até quando já maiores, na fase de adolescentes, se sentem indignadas quando itens de ponta das tecnologias como celulares, jogos e smartfones não lhe são dados. Atente que essas negativas trazem junto o perverso sentimento da repulsa, quando amigos, colegas e familiares se veem afastados do convívio devido seus desejos não serem comtemplados. Pense nisso!

Veja que aquele rapaz rico cuidava de cumprir sua parte nos mandamentos de Deus apenas respeitando o seu semelhante, todavia, quando instado por Jesus a dar de si, ele não quis perder suas posses (que eram muitas aos padrões daquela época) e justamente aqui, pode-se dizer sem sombras de dúvidas que ele contrariou um desejo ou uma vontade de Jesus.

O incrível é que embora ele não quisesse vender nada, compreenda que sua atitude não gerou em Cristo nenhum sentimento de repulsa. De forma contrária, “... Jesus, olhando para ele, o amou.” (Mc 10.21). Para muita gente hoje em dia, um gesto idêntico ao deste rapaz em contrariar um pedido, iria causar o afastamento, mas Jesus fez diferente. O rapaz deu as costas, saiu da presença de Jesus, se afastou e não entendeu as riquezas da vida eterna, deu mais valor aos seus bens do que ao filho de Deus a quem ele havia chamado de bom, mas mesmo assim Jesus o amou, aliás, o amou antes mesmo dele responder (Mc 10.22). Reflita aqui sobre o tamanho do amor de Deus sobre sua vida mesmo quando você se afasta!

Entenda, portanto, que o conceito de amor não pode ser mudado e nem sofrer repulsas ao sabor de nossas vontades e desejos não atendidos, mas deve seguir o padrão de Jesus que amou mesmo quando não foi compreendido. Você entende isso?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 1592 vezes
Mais nesta categoria: « PARÂMETROS ESCOLHAS »

PUBLICIDADE