Segunda, 01 Julho 2019 13:51

PERDÃO

Escrito por
Avalie este item
(7 votos)

PERDÃO

“E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.” (At 8.3)

 

O livro de Atos dos Apóstolos e o terceiro evangelho foram escritos por Lucas. Embora Lucas não tenha estado entre os doze, sua amizade com Paulo rendeu-lhe muitas informações a ponto de acompanhá-lo nas viagens missionárias pelo mundo de então. A narrativa de Lucas em Atos mostra desde as dificuldades iniciais da pregação do evangelho como o sucesso no estabelecimento de diversas comunidades cristãs por onde anunciavam Cristo. Atos dos Apóstolos registra também as perseguições, as curas, os milagres e as conversões coletivas e individuais que mais se sobressaíram em decorrência das circunstâncias do momento (At 2.41; At 10.33; At 14.1-10; At 16.14-30).

O passado das pessoas é algo que ela carrega por onde for e até mesmo depois de sua morte muitos de seus atos serão lembrados, quando não registrados para gerações futuras terem conhecimento. Evidentemente que algumas situações do passado não devem ser lembradas, todavia, para o homem, olhar para trás é algo comum. Caminha-se para frente, mas seus olhos sempre voltam para o retrovisor da vida, como se este olhar pudesse direcionar para onde ele deve andar.

Paulo é um personagem muito conhecimento no meio cristão. Depois de Cristo, ele é o maior doutrinador da fé cristã. Seus ensinos foram registrados em trezes volumes, com destinatários individuais (Filemom, Tito e Timóteo) e coletivos (comunidades cristãs de Corinto, Colossos, Filipo, Roma, Éfeso, Gálatas e Tessalônica).

Atente que nas relações pessoais o passado assume papel de grande importância. As empresas contratam mediante as informações pessoais do passado, amizades são estabelecidas ou desfeitas mediante o conhecimento de quem foi a pessoa no passado e desta maneira, os atos de anos atrás se tornam fundamentais para conquistas no presente. No mundo secular com suas normas e regras não há mesmo como fugir dessa situação.

“Sou Eu, Eu mesmo, aquele que apaga tuas transgressões, por amor de mim, e que não se lembra mais de teus erros e pecados.”(Is 43.25). Essas palavras do profeta Isaías foram direcionadas ao povo de Israel, que teimava em ter uma vida descompromissada com Deus. Ora estava firme e adorando a Deus e ora caía nas práticas do pecado e se afastava. Nisso é fácil perceber que aquela nação, escolhida por Deus, tinha um péssimo passado. Mas por meio das palavras do profeta, Deus dizia aos israelitas que eles não deveriam se importar com os erros cometidos no passado, que não era preciso contabilizar as transgressões que eles tinham praticado na caminhada, pois Deus não levava isso em conta. Noutras palavras, Deus enxergava a vida daquele povo dali para frente e simplesmente os perdoava, era o prenúncio da graça que foi e continua sendo a mais pura demonstração de amor. Reflita!

É neste contexto que Deus olhou para Paulo e não viu o passado daquele homem como inadequado para que  levar sua mensagem ao mundo, tanto daquela época como aos dias atuais. Aliás, o passado de Paulo aos olhos do homem era mesmo ruim, que o diga Ananias (At 9.13). Lembre-se que Paulo entrou de corpo e alma a serviço dos sacerdotes judaicos na perseguição aos novos cristãos. Com uma visão focada no que realizava, Paulo julgava que estava atuando para Deus (At 22.3-4; 26.9 e Gl 1.14). Implacável e objetivado na sua missão. E tocante aos cristãos que moravam na cidade de Jerusalém, ou estavam na prisão ou em fuga para outras localidades (At 9.1-2).

Diante de tudo isso, pode-se afirmar que Paulo não teria nenhuma chance com Jesus, todavia, para Deus sempre existe a possibilidade do recomeço, sempre existe a possibilidade do perdão, sempre existe a possibilidade de reconstruir. Saiba que Deus transformou Saulo de Tarso, profundamente envolvido nas perseguições em um homem que pregou e viveu a mensagem da graça e do perdão. Ele não merecia, mas Deus a concedeu, ou num termo bem atual, o passado de Paulo foi deletado. Deus o perdoou e lhe deu expectativas de uma vida transformada e transformadora (Ef 2.2-5).

"esquecendo-me das coisas que atrás ficam" (Fp 3.13). Palavras do próprio apóstolo Paulo, deixando claro que muitas das vezes, é o próprio homem que teima em trazer à sua memória aquilo que não deve ser lembrado, que deve ser esquecido e que não vai contribuir e nem edificar o dia de hoje. Noutras palavras, não viva olhando no retrovisor, mas firme os olhos para frente, com Cristo e em Cristo. Não importa o que foi o homem no passado, mas sim o que ele é em Cristo (1 Co 6.9-11). Houve o perdão, você entende isso?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 897 vezes
Mais nesta categoria: « IDENTIDADE PROPAGANDA »

PUBLICIDADE