Segunda, 15 Julho 2019 16:19

PROMESSAS

Escrito por
Avalie este item
(3 votos)

PROMESSAS

“Então, em seguida Abraão orou a Deus, e Deus curou Abimeleque, sua mulher e suas servas, a fim de que pudessem novamente ter filhos” (Gn 20.17)

 

Escrito pelo profeta Moisés, o livro de Genesis mostra o poder de Deus na criação da terra, dos mares, das estrelas, dos vegetais, dos animais e do homem. Inicia-se neste livro de maneira progressiva a autorevelação de Deus aos homens, terminando em Cristo no Novo Testamento. Em Gênesis têm-se ainda as narrativas sobre os grandes patriarcas como Abraão, Jacó e Isaque e também o registro da história de José. Ainda em Gênesis é citado o problema do pecado que afetou não só a condição da vida do homem como culminou no seu afastamento de seu Criador, Deus.

A passagem acima está contextualizada em um capítulo inteiro. Resumidamente, Abraão saiu em peregrinação na terra dos Filisteus, mentiu sobre quem era Sara aos habitantes do lugar, ocasionando que um homem de nome Abimeleque a levasse para sua casa. Deus o repreende e ele a devolve a Abraão (Gn 20).

Observe que Abraão é um personagem muito conhecido por acreditar num chamado e ter fé para não ficar onde Deus não queria que ele ficasse. Muito embora tenha passado por crises, Abraão foi um homem que acreditou intensamente nas promessas de Deus para sua vida e foi extremamente abençoado. A narrativa de Moisés, diz que ele tinha relacionamento e intimidade com Deus, e o profeta Isaías corrobora com essa afirmativa e detalha: Abraão era amigo de Deus (Is 41.8).

Percebe-se com muita facilidade que vivemos num mundo cada vez mais competitivo. Desde cedo as pessoas conduzem suas vidas num cenário muito explícito de ganhar ou ganhar, aliás, ninguém está preparado para perder. O foco ou a visão é sempre vencer, nem que para isso sejam empregados meios nada convencionais, inclusive em ambientes familiares. Noutras palavras, o homem nasce e cresce num ambiente competitivo e isso não cessa, mesmo quando adulto. Reflita isso!

Veja que Abraão era pai de Ismael, nascido de um caso extraconjugal com uma serva de nome Hagar, numa história muito conhecida (Gn 16.1-4). Enquanto a criança Ismael crescia, Abraão ainda vivenciava juntamente com sua esposa Sara o tempo da promessa de ser pai de Isaque. A palavra de Deus dizia que essa criança viria do ventre de Sara e que ele, Abraão, seria pai de muitos (Gn 17.18).

“...Abraão orou a Deus, e Deus curou Abimeleque, sua mulher e suas servas, a fim de que pudessem novamente ter filhos” (Gn 20.17). Atente de forma incrível que mesmo não sendo pai de um filho com Sara, este detalhe não foi impeditivo para Abraão interceder a Deus para curar Abimeleque, suas mulheres e suas servas, de maneira que tivessem filhos. Olha o que Abraão fez! Ele ainda não era pai de Isaque e poderia muito bem agir de forma competitiva e simplesmente recusar em fazer a oração para que outro homem fosse pai. Até aqui ele tinha apenas a promessa. Reflita sobre o nível de maturidade de Abraão!

Traga este episódio para nossos dias e veja de forma semelhante, quantas pessoas ainda pensam de maneira contrária ao comportamento e postura de Abraão. Acreditam essas pessoas que se Deus ainda não os abençoou, nada justifica elas intercederem para Deus conceder algo que elas próprias ainda não possuem. Isso mostra claramente o perverso sistema competitivo que teima em fazer morada em muitos corações. Para muita gente que recebeu do Pai suas promessas e estão hoje vivendo este tempo de espera, é inconcebível orar para outra pessoa numa situação idêntica a que viveu Abraão. Entenda bem que uma coisa é você não ter recebido o que Deus te prometeu e outra coisa muito diferente é evidenciar quem você é em Cristo. Abraão é um personagem que se tornou referência de maturidade em viver os propósitos de Deus de maneira muito intensa, basta ver o pedido de Deus sobre o sacrifício de Isaque (Gn 22.2). Pense!

Compreenda que o foco de Abraão em Deus era muito maior que suas vontades e desejos e isso ficou evidenciado quando ele cuidou dos interesses de Deus em dar descendência a Abimeleque, enquanto ele, Abraão, apenas nutria expectativas quanto ao nascimento de Isaque. Atente que hoje muita gente sente ciúmes quando outra pessoa é abençoada por Deus. Uns chegam a se desesperar, outros reclamam em alta voz e tem ainda aqueles que simplesmente abandonam a fé e abraçam a incredulidade. Pode-se conjeturar que Abraão saiu honrado por Deus quando as noticias do nascimento das crianças daquelas mulheres chegou aos seus ouvidos e isso, certamente fortaleceu sua fé em continuar fazendo a vontade de Deus e acendeu a esperança que Isaque também chegaria, no tempo de Deus (Hb 10.36).

Portanto, saiba que o sinal de maturidade de quem vive a graça de Deus é reconhecer que todos precisam da mesma graça. Guarde isso: você não está competindo com ninguém, seu maior adversário é você mesmo. E mais: não ter ainda aquilo que Deus te prometeu e continuar firme no propósito revela que você está dentro do que o Pai espera de você. Compreenda isso!

Jesus Cristo Filho de Deus te abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 1291 vezes Última modificação em Sábado, 20 Julho 2019 15:17
Mais nesta categoria: « PROPAGANDA FUTURO »

PUBLICIDADE