Segunda, 10 Agosto 2020 15:27

PRESENÇA

Escrito por
Avalie este item
(4 votos)

PRESENÇA

 “O Senhor está neste lugar, e eu não o sabia!” (Gn 28.16).

 

Escrito por Moisés, o livro de Gênesis trata da criação de todas as coisas. É o livro dos começos, ou seja, ele apresenta tudo o que foi criado por Deus e tudo numa sequencia muito lógica. Assim tem-se a criação das estrelas, dos mares, dos animais, das aves e logicamente a criação do homem. O livro apresenta também o pecado original e o afastamento do homem de seu criador, tem ainda as histórias de personagens muitos conhecidos, como os patriarcas Abraão, Isaque, Jacó e a vida de José e de outros personagens bíblicos. Enfim, é justamente no livro de Gênesis que Deus se revela de maneira progressiva ao homem.

O contexto da passagem acima está na história de Jacó, que após enganar e trapacear seu pai Isaque, trazendo prejuízo espiritual e material a Esaú, seu irmão, se viu ameaçado de morte. Direcionado pelo seu pai, ele sai de sua casa com destino a outras terras com o objetivo de arrumar uma esposa (Gn 28).

Para muita gente, Deus é bom e misericordioso e para outros, Deus é visto como aquele que pune com rigor ao menor erro de suas criaturas. Entretanto, perceba que mesmo para aquelas pessoas que estão dentro do ambiente cristão há muito tempo, nem sempre é fácil definir a divindade quando se olha para os homens, conquanto seu semelhante, por meio dos olhos de Deus. O homem olha de uma maneira, Deus vê o mesmo homem de outra forma. Pense!

A narrativa de Moisés mostra que Jacó atendeu as orientações de sua mãe Rebeca e conseguiu enganar seu pai Isaque. Trapaceando, ele conseguindo ser abençoado no lugar de seu irmão Esaú. Deste seu ato, ele foi jurado de morte e saiu para uma longa viagem e em certo trecho dessa jornada, parando para o pernoite, ele usou uma pedra como travesseiro para repousar. A narrativa diz que ele sonhou com uma escada que atingia o céu e anjos de Deus subiam e desciam sobre ela. Nessa atmosfera Deus se revelou a ele como o Deus de seu pai Isaque e do avô Abraão. Foi ali que ele disse que na verdade o Senhor estava naquele lugar, e ele não havia dado conta dessa presença divina (Gn 28.16).

Veja que na visão humana, com tantas pessoas críticas e tidas entre si mesmas como julgadoras do comportamento alheio, Jacó, pelos atos que cometeu e pelas circunstâncias do seu passado, não merecia mesmo a visitação de Deus e nem mesmo as bênçãos que o Criador lhe concedeu (Gn 28.24-15). Aliás, no entendimento de muita gente, Jacó merecia um tratamento igual ou mesmo pior do que ele fez quando trapaceou seu pai, entretanto, inobstante o passado ruim, Deus se revelou a ele em sonhos e a graça de Deus o alcançou, muito embora as suas condições comportamentais do passado lhe eram amplamente desfavoráveis (trapaceou, mentiu e enganou). Noutras palavras, pela ótica humana Jacó não merecia, mas ele foi surpreendido pelo amor puro e verdadeiro de Deus. Resumindo: a aparição de Deus a Jacó foi o triunfo da graça sobre a justiça do homem. Reflita!

Nos dias atuais se percebe a ojeriza de muitas pessoas quando o assunto é comportamento do outro, notadamente quando o outro tem práticas e atitudes nada cristãs. Isso, infelizmente é uma realidade bem presente, tanto no meio da sociedade civil como em ambientes eclesiásticos. Essa raiva expressa em muitos indivíduos possui forte conotação competitiva já que o homem vê o seu semelhante não como aliado ou parceiro, mas como competidor e justamente aí surge o entendimento de vê-lo como oponente que merece ser penalizado. Pense!

“O Senhor está neste lugar, e eu não o sabia!” (Gn 28.16). Deus estava ali pertinho de Jacó e ele compreendeu isso com precisão, tanto que após essa manifestação divina Jacó ergueu um altar e adorou (Gn 28.18). Certamente que essa frase pode ser a mesma frase que centenas de milhares de pessoas mundo afora, com um passado igual ou pior que o de Jacó, ainda relutam em não acreditar que Deus pode sim, não só se revelar como abençoar, dar direção na vida e receber adoração. Creia que independente do passado, a graça de Deus tem poder para alcançar a todo homem, indistintamente, e sentir a presença de Deus pode ser a descoberta mais fascinante que o homem pode experimentar em sua vida. Reflita!

“Como está escrito: não há um justo, nem um sequer.” (Rm 3.10). Uma grande verdade anunciada pelo apóstolo Paulo em carta á comunidade cristã na cidade de Roma, mostrando que aos olhos de Deus, todos os homens estão no mesmo nível. Todavia, Deus tem se manifestado na vida de muita gente, abençoando, curando, dando livramento ou mesmo direcionando na caminhada e para aflição dos que se acham perfeitos, ainda recebe adoração. Mesmo sem ter consciência da presença de Deus, saiba que ELE continua muito mais perto do que muitos imaginam. Guarde isso!

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 534 vezes Última modificação em Sábado, 15 Agosto 2020 15:35
Mais nesta categoria: « JUÍZO CONFIANÇA »

PUBLICIDADE