Segunda, 17 Agosto 2020 19:48

CONFIANÇA

Escrito por
Avalie este item
(5 votos)

CONFIANÇA

“Mas em ti confio, ó SENHOR, e proclamo: Tu és o meu Deus!” (Sl 31.14)

Dentre os livros que compõem a Bíblia, têm-se os Salmos com cerca de 150 poemas. Destes, aproximadamente 70 poemas são atribuídos ao rei Davi como autor, enquanto os demais possuem diversos autores, como Asafe, Hemã, Salomão, Moisés, Etã e os filhos de Coré. Os Salmos expressam diversos sentimentos do seu ator, assim, pode-se ver nas leituras emoções de alegrias, tristeza, raiva, vingança, confiança, desespero e também expressões de adoração a Deus.

O salmo 31 foi escrito pelo rei Davi e ele traz um pedido de socorro e de proteção a Deus. Não se sabe quais foram os motivos que levaram Davi a expressar seu clamor a Deus, mas é bem provável que tenha sido quando passava por momentos de angústia e tristeza, perseguido por Saul. Embora estivesse enfrentando situações adversas, Davi demonstrou que sua confiança estava depositada em Deus (Sl 31.14).

Mesmo o homem mais desinformado, e isso é difícil de achar, consegue deduzir que vivemos hoje numa época de profunda decadência social e forte relativização da verdade. Por meio dos noticiários percebe-se que violência aumenta potencialmente em todos os ambientes e cenários. Crises econômicas acontecem uma atrás de outra, famílias desestruturadas com pais contra filhos e estes contra seus pais. Doenças que já estavam erradicadas aparecem novamente e novas enfermidades surgem num piscar de olhos, ceifando centenas de milhares de vidas.

A história de Davi é bem relatada nos livros de Samuel, Crônicas e nos livros de Reis. Seus erros e acertos estão bem delineados nas narrativas de forma que não se pode negar que suas atitudes refletem seus altos e baixos, mas uma coisa fica evidente em todos os contextos: Davi jamais deixou de buscar em Deus o seu socorro, jamais deixou de buscar em Deus o refúgio nos momentos de angústias e acima de tudo, jamais deixou de acreditar em Deus. Isso é tão evidente que ele passou por diversas situações ruins e delas saiu-se como vencedor. Mérito de Deus e não dos esforços próprios de Davi!

O mundo passa por um período de extrema turbulência, enfrentando uma pandemia que tem causado males não só no organismo do homem, mas causando também sérios problemas de ordem econômica. Encerramentos de empresas e indústrias com o consequente desemprego, crises depressivas devido ao isolamento social, aumento do endividamento, prejuízos no sistema educacional e tantas outras situações possuem uma só causa: o coronavírus.

O incrível é que assim como aconteceu com o rei Davi, ninguém está isento de se ver no meio de um furacão, ninguém está imune às tempestades da vida. Dias ruins e situações atípicas são mesmo frequentes na vida de todos, crentes em Jesus ou não. O diferencial de Davi era confiar plenamente em Deus, era se entregar por inteiro naquele o chamou para governar Israel e assim, ele sempre expressou sua segurança em Deus (Sl 31.6).

Perceba bem que muitas pessoas colocam sua crença em seus bens ou na política ou na sua experiência de vida, mas entenda que nenhum destes pode garantir uma verdadeira segurança. Nenhum! Atos violentos não fazem distinção de pessoas, ricos e pobres estão na mesma possibilidade de serem vítimas. O executivo da empresa e o funcionário subalterno correm o mesmo risco de passarem por enfermidades. Médicos e agentes de saúde que possuem todo conhecimento de prevenção das doenças, também ficam doentes e podem falecer. Enfim, enquanto vivos, aflições e adversidades são comuns a todos, ou seja, ninguém está isento. Reflita!

“E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.” (Lc 23.46). Essas foram as palavras pronunciadas por Jesus na cruz do calvário. Até mesmo Cristo, enquanto homem tinha a plena certeza que podia clamar e confiar em Deus. É desta forma que num mundo de tantas incertezas, de tantas maldades e tantas desconfianças, nada mais natural às pessoas que depositem sua confiança em Deus. Veja que pessoas enganam outras pessoas, atente que autoridades, políticos, amigos e até parentes podem não ser aquelas pessoas que demonstram ser em termos de confiança, todavia, Deus é aquele que em todo o tempo está disponível para aqueles que nele confiam. Reflita isso!

Saiba que em todo o contexto bíblico, Deus sempre se dispôs a estender seu braço amigo ao homem (Sl 136.12). Portanto, assim como uma criança se joga nos  braços do pai, permita a si mesmo depositar sua confiança em Cristo. Lembre-se que Davi exercitou essa confiança e se deu bem. Faça o mesmo, amém?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 506 vezes
Mais nesta categoria: « PRESENÇA SELFIE »

PUBLICIDADE