Segunda, 20 Setembro 2021 09:04

COMANDO

Escrito por
Avalie este item
(1 Votar)

COMANDO

E, viajando por toda a região da Frígia e da Galácia, Paulo e seus companheiros de ministério foram impedidos pelo Espírito Santo de pregar a Palavra na província da Ásia.” (At 16.6).

 

O Livro de Atos dos Apóstolos apresenta de maneira resumida o relato da expansão da igreja depois da morte e ressureição de Jesus. A narrativa de  Lucas tem nos discípulos Pedro e Paulo quase que a totalidade dos eventos que levaram à formação da igreja no mundo de então. Veja que Lucas não foi discípulo de Jesus não era Judeu e segundo os historiadores, ele era grego e morador de Antioquia na Síria. Tinha a medicina como atividade laboral e esteve acompanhando o apóstolo Paulo em diversas ocasiões, registrando e anunciando a salvação por meio da graça e do amor de Deus (Atos 16.6-11).

Enquanto esteve afastado de Jesus, sem ainda conhecer o Messias, o apóstolo Paulo era dono de sua agenda, ou seja, sua vida era comandada por sua vontade. Ia para onde desejava, tinha plena liberdade de fazer suas escolhas e tomar suas decisões, todavia, depois de sua conversão, ele passou a ser governado pelo Espírito Santo de Deus. Jesus assumiu o comando! ( At 16.6-10).

Perceba que hierarquia e disciplina são princípios que constituem a base não só das organizações militares, mas também de grandes corporações que encontram nesses dois princípios a fundamentação para o alcance do sucesso, ou do fracasso caso estes princípios sejam desconsiderados. Atente que enquanto a hierarquia é demonstrada no acatamento da autoridade, a disciplina impõe a observância de normas e regras que devem ser executadas fielmente. Ou seja, as duas caminham juntas, de mãos dadas.

É fácil observar que o ministério do apóstolo Paulo foi marcado por muitos eventos, muitos compromissos e diversos deslocamentos. Lucas deixou registrado que Paulo estava sempre realizando alguma coisas, ora ensinando, ora escrevendo cartas às igrejas, ora plantando igrejas e, logicamente tudo isso era realizado por meio de planos que estabeleciam as rotas de visitas ás cidades.

O texto de Lucas mostra que o plano deles era viajarem para a Ásia, todavia, o Espírito Santo não permitiu (At 16.6). Ali mesmo eles reformularam os planos e desejaram ir para a cidade de Bitínia, mas novamente o Espírito Santo interviu e não permitiu que essa viagem se realizasse. O planejamento pessoal ficou para trás e eles, obedientes ao governo e autoridade do Espírito Santo acataram a nova direção e tomaram rumo a Macedônia. Era naquela região que Deus queria que eles estivessem anunciando o seu amor e foi onde Deus fez grandes coisas, convertendo corações e salvando almas (At 16.14-31). Noutras palavras, o projeto de expansão era conforme os planos de Deus e não conforme o desejo de Paulo que desejava ir para outra região e, com um detalhe: mesmo sendo chamado por Deus no momento de sua conversão, não poderia ele atrapalhar os projetos divinos. Afinal de contas, a exclusividade da obra de Deus em estabelecer igrejas era e continua sendo dele próprio (Mt.16.18). Guarde isso!

Considere que Deus criou o homem e o dotou de inteligência para realizar muitas tarefas, inclusive a de pensar estrategicamente de forma ter bons resultados em seus projetos, e desde sua conversão Paulo estava anunciando Jesus por onde passava. Estava completamente envolvido na missão de mostrar que outrora estivera afastado de Deus e agora afirmava a todos que Jesus era o Cristo e que a salvação por meio da graça e misericórdia de Deus era algo tão real que, ele próprio, era uma carta viva dessa mudança (2 Co 3.2). Reflita!

Saiba que dentro da achologia humana,  nem sempre o homem está ouvindo o que Deus tem para lhe dizer e prossegue tocando sua existência à sua maneira. Isso fica evidenciado quando a vida de muitas pessoas são conduzidas aos trancos e barrancos, ocasionando perdas e trazendo dores e sofrimentos. Ao impedir que Paulo fosse para a região da Ásia, era certo que lá eles poderiam ter problemas que não sabiam, afinal Deus, dentro de sua onisciência tem conhecimento das coisas que virão. Dentro da inteligência humana, cabe ao homem planejar, escrever, avaliar e calcular todas  as possibilidades que estão à sua frente, analisando os prós e contras, mas deixando o comando da sua vida para Deus, aliás, já dizia o profeta Jeremias que não cabe ao homem determinar o seu caminho, nem aquele que caminha, o de dirigir os seus passos. (Jr 10.23).

Dentre as doutrinas bíblicas, certamente que a soberania de Deus é a mais confrontada pelo homem, justamente pela sua abrangência. Em diversas ocasiões Deus simplesmente atravessou a história para corrigir rumos, ajustar rotas e dar destino diferente daquele que o homem se propôs a fazer (Gn 11.1-9). A história de Jó é um exemplo de aceitação da soberania divina quando ele próprio reconheceu que nenhum dos projetos que Deus idealizou poderiam ser impedidos (Jó 42.2). Finalizando, entenda que  Deus governa todas as coisas, afinal, se não governasse, não seria Deus. Nesse contexto, creia que Deus é absolutamente soberano para fazer o que deseja, como deseja e quando deseja. Tem poderes para cumprir e/ou determinar cumprir os seus propósitos e ao homem, cabe tão somente ser ou não um instrumento em suas mãos. Compreenda isso, descansa o seu coração e viva feliz sob o comando de Jesus Cristo. Grande abraço.

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 356 vezes Última modificação em Segunda, 20 Setembro 2021 13:04
Mais nesta categoria: « LIMITES PROPOSTA »

PUBLICIDADE