Quarta, 31 Maio 2017 10:07

EXALTAÇÃO

Escrito por
Avalie este item
(3 votos)

EXALTAÇÃO

“Pois não podemos deixar de falar de tudo quanto vimos e ouvimos! ” (At 4.20)

 

O livro de Atos dos apóstolos é uma continuação do evangelho de Lucas. Nele estão registrados a conversão de Paulo, as viagens missionárias, o início da igreja no mundo de então, as lutas, as dificuldades e as perseguições do Império Romano. O livro serve de base para comparações de datas e esclarecimento de detalhes importantes, principalmente quando se analisa as cartas escritas pelo Apóstolo Paulo. Atente ainda que o Espírito Santo é mencionado em Atos diversas vezes, confirmando as palavras de Jesus antes de sua ressureição (At 1.8-9).

O versículo acima está dentro do contexto da primeira perseguição levada a efeito pelos sacerdotes, principais do templo e seita dos saduceus. Estes não gostaram da ministração feita pelo discípulo Pedro ao povo sobre a morte e ressureição de Jesus dentre os mortos.  O discípulo Pedro havia sido preso e logo após se dirigiu ao sinédrio judaico e ali se manifestou como firme testemunha do que viu e ouviu, enquanto esteve com Cristo (At 4.1-4). Lembre-se que após sua ressurreição, Jesus apareceu aos discípulos (Lc 24.36), comeu com eles (Lc 24.42-43) e os comissionou para pregarem o evangelho da salvação, conduzirem as pessoas ao arrependimento e a remissão dos pecados. Jesus orientou os seus discípulos que de todas estas coisas eles seriam testemunhas (Lc 24.48).

Atente que a simples pronúncia da palavra testemunha leva a mente das pessoas para os tribunais, onde a testemunha tem papel importante nos julgamentos. Cabe a pessoa arrolada como testemunha se pronunciar em falar a verdade sobre determinado fato. A testemunha é tão relevante que Deus a inseriu nas tábuas da lei como o nono mandamento na relação do homem com seus semelhantes, justamente para incutir na mente do povo a importância de falar a verdade, de ser honesto e sincero (Ex 20.16). Da mesma forma os tribunais seculares prezam pelo testemunho da verdade para imputação de responsabilidades nos julgamentos. Noutro giro Jesus ensinou que o diabo é o pai da mentira, ou seja, a testemunha mentirosa tem paternidade (Jo 8.44). Reflita!

Pedro falava sobre tudo aquilo que ele havia visto com seus próprios olhos e obviamente, tinha escutado também enquanto esteve com Jesus. Era natural que isso incomodasse os sacerdotes, aliás, antes deste discurso, Pedro e João haviam sido ferramentas de Deus na cura de um homem aleijado, ou seja, presenciaram a cura. E falar sobre a ressureição era assunto que os integrantes da seita dos saduceus não apreciavam. Veja que Pedro foi uma testemunha fiel na exata expressão da palavra, ele dizia a verdade. Perceba também que o discípulo João, seu companheiro naquele momento, também se manifestou como testemunha de Cristo em seus escritos, ao declarar o que viu, o que escutou e o que contemplou no ministério de Jesus (1 Jo 1.3).

Falar a verdade foi primordial para as primeiras conversões dos judeus ao cristianismo, e é importante também nos dias de hoje para gerar confiança das pessoas em Cristo. Saiba, pois, da relevância dos crentes atuais em serem bons mensageiros da palavra de Deus, cuidando que suas atitudes, comportamentos e modo de vida sejam testemunhas da transformação operada pelo poder de Deus.

O apóstolo Paulo se expressou de maneira única ao afirmar que o homem, então pecador e dado as práticas mundanas, ao conhecer e aceitar pela fé Cristo em seu coração, ele passa a ser uma nova pessoa (2 Co 5.17).  Essa mudança de habitante do mundo do pecado para um mundo de luz, observada pelas demais pessoas é um testemunhado daquilo que Jesus pode fazer. Reflita isso!

Compreenda que ser testemunha daquilo que que Cristo fez em sua vida é fundamental para os demais depositarem sua confiança em Jesus e desta forma, por meio deste exemplo, salvarem muitos da perdição eterna. Uma boa testemunha se traduz em um modelo, um referencial a ser copiado e foi exatamente isso que os dois discípulos se dispuseram a fazer ao manifestaram sua fé em Cristo publicamente.

Há muitas outras formas de exaltar o nome de Jesus (2 Co 6.4). Pode-se glorificar o nome de Cristo relatando as bênçãos e maravilhas que ELE tem realizado por você e por seus familiares (Sl 126.3). Pode-se declarar que Deus tem derramado sua misericórdia e bondade, te mantendo vivo (Sl 3.5), afinal de contas, “ o SENHOR é quem tira a vida e a dá”, ou seja, Deus é o dono da vida(1 Sm 2.6).

Reconheça também a existência de más testemunhas, infelizmente são aquelas que denigrem o evangelho e promovem o afastamento das pessoas de Deus, proporcionando escândalos por meio de comportamento, modo de vida e posturas inadequadas com a doutrina cristã. São testemunhas que influenciam negativamente, distanciando as pessoas e impedindo que o nome de Jesus seja proclamado (Rm 14.15; 2 Co 6.3).

Veja que o comportamento do cristão perante a igreja e toda sociedade é diariamente analisado. Lembre-se que a maneira de falar, a postura, as atitudes, as reações, o modo de se comportar e outros indicadores cristãos são suas referenciais (Mt 12.33-37). Seja, portanto, uma testemunha fiel, consolidando e exaltando o nome de Cristo, amém?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

 

 

Ler 598 vezes
Mais nesta categoria: « NÃO! BAJULADORES »

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE