Quarta, 24 Janeiro 2018 12:05

CIÚMES

Escrito por
Avalie este item
(4 votos)

CIÚME

“Sucedeu, porém, que, vindo eles, quando Davi voltava de ferir os filisteus, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e em danças, com adufes, com alegria e com instrumentos de música. E as mulheres, tangendo, respondiam umas às outras e diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus dez milhares.” (1 Sm 18. 6-7)

 

Os dois versículos acima estão dentro do contexto da luta entre Davi e o filisteu Golias. Após aclamação das mulheres em favor de Davi que saiu vitorioso da batalha contra Golias, o rei Saul sentiu-se tomado pela inveja e enciumado passou a ter Davi como seu inimigo.

Saiba que outrora, o livro de Samuel era um só volume, mas quando da tradução das Sagradas Escrituras do hebraico para o grego, os setenta e dois rabinos judeus fizeram a divisão em dois volumes. Davi foi ungido rei de Israel pelo profeta Samuel, todavia, o profeta não acompanhou e nem vivenciou o reinado de Davi, pois o profeta morreu quando Saul ainda era rei (1 Sm 25.1). Assim se pode afirmar que Samuel escreveu uma parte do primeiro livro e o restante da narrativa é creditada aos profetas Natã e Gade (1 Cr 29.29).

Atente que o sentimento da inveja é algo comum no coração do homem e, por vezes tão sutil, que a pessoa não se dá conta do estrago que ele causa. A inveja tem a particularidade de entrar na mente humana e fazer o seu portador não se alegrar com o sucesso do próximo, pelo que ele tem ou por aquilo que ele realiza. A inveja cria no coração de seu dono o desejo de querer o que o outro tem, mesmo em alguns casos possuindo mais que ele. Enfim, o ciúme é um sério problema nos dias atuais. Reflita!

Veja que o apóstolo Paulo, logo após sua conversão, escreveu uma carta à comunidade cristã localizada na região da Galácia, anunciando a salvação pela graça de Deus, por meio de Jesus e fundamentou a base da fé cristã excluindo as vontades pessoais. Nessa carta o apóstolo se manifesta claramente contra as obras da carne, notadamente o sentimento da inveja, sentimento esse que caminha de mãos dadas com o orgulho. Paulo enfatizou que caso o homem tivesse estes dois sentimentos em seu coração, eles iriam escravizá-lo de tal modo que afastaria a presença do Espírito de Deus (Gl 5.26). O apóstolo afirmava que no coração do homem não haveria espaço para o Espírito Santo, caso este mesmo coração já estivesse ocupado pela inveja e pelo orgulho. Veja que o ciúme tem feito moradas em muitos corações, inclusive nos lares e em pessoas que se dizem cristãs, sem distinção. Reflita seriamente sobre isso!

Lembre-se que antes de ser chamado por Deus, Davi era simplesmente um pastor de ovelhas, totalmente desconhecido do rei Saul. Mas bastou lutar e derrotar o filisteu para ganhar a inimizade do rei, por meio da inveja. Até então Davi não era visto pelo povo, mas o reconhecimento chegou após a vitória contra Golias e trouxe junto o ciúme de Saul que, orgulhoso e ferido em seu íntimo, se viu diminuído dentro de seu próprio governo. Interessante perceber que tempos depois, Davi foi colocado como comandante dos homens de guerra do reinado de Saul, mas não deixou que este título e o status de chefia inflamasse seu ego (1 Sm 18.5). Ou seja, Davi não deu oportunidade para este sentimento perverso!

Compreenda que nem sempre o homem está preparado para lidar com o sucesso alheio. Desde o estudante que sente uma pontada de inveja do colega que tirou nota máxima no exame até o cônjuge que tem ciúmes de seu companheiro, o ciúme vive provocando danos. Há inúmeros outros exemplos, principalmente no meio cristão, mas saiba que este sentimento perverso é amicíssimo da maldade. A cautela de Davi era uma virtude e a inveja de Saul um grande defeito, tão enorme que gerou em seu coração a vontade de matar Davi, perseguindo e mantendo este sentimento diabólico. Com raras exceções, o sucesso alheio em qualquer área sempre criará em pessoas orgulhosas o sentimento da inveja, seja em pequenas ou grandes doses. Basta olhar em volta e ver a quantidade de pessoas que carregam esta mágoa em seu coração. Atente nisso!

O apóstolo Paulo citou que o amor não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal e nem é invejoso (1 Co 13.3-4). Ou seja, quando o homem olha somente para si e deixa de ter a visão de reino, ele implicitamente estabelece que o amor pelo próximo não faz parte de sua vida. O contrário da visão de reino é justamente uma visão imperialista e dominadora, onde o orgulho e a inveja ocupam lugar de honra. Lembre-se que o ciúme é tão pernicioso que o primeiro assassinato registrado na bíblia foi alimentado por ele (Gn 4.8). Foi justamente essa vontade de matar que também alimentou o coração do rei Saul que viu o ódio por Davi nutrir suas vontades, a ponto de desejar a morte dele (1 Sm 18.25).

Resumindo, não se preocupe com o sucesso alheio. Saiba que a inveja se aloja no coração e não fica parada, ela se movimenta trazendo muitas perturbações. Ocupe seu coração com muito amor, muitas alegrias e muita paz (Mc 7.21-23). Viva assim, amém?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 499 vezes
Mais nesta categoria: « REGRESSO SOBERANAMENTE »

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE