Quarta, 14 Fevereiro 2018 12:56

PENDÊNCIAS

Escrito por
Avalie este item
(5 votos)

PENDÊNCIAS

“Paulo, entretanto, não conseguia ver razão para levar consigo aquele que desde a Panfília havia decidido se afastar deles e não os acompanhara até o fim da missão” (At 15.28)

Escrito por Lucas, o livro de Atos dos Apóstolos é o registro autêntico que aborda com muita propriedade os primeiros anos da história da igreja. Há no livro de Atos a conversão de Paulo, suas viagens missionárias, o estabelecimento das primeiras comunidades cristãs e a prisão do mesmo Paulo com sua apresentação em Roma, capital italiana.

O versículo acima está dentro do contexto de uma discussão verbal entre Paulo e Barnabé e como pivô, a pessoa de João Marcos, o mesmo que escreveu o evangelho de mesmo nome. Paulo não queria que Marcos os seguisse na viagem para algumas cidades que já tinham sido visitadas anteriormente e Barnabé desejava que Marcos fosse junto. Não havendo acordo, Paulo e Barnabé se separaram e cada um seguiu para uma direção, mas levando o evangelho (At 15.36-40).

Frequentemente as pessoas discordam entre si. Nem todos possuem os mesmos gostos, nem todos desejam a mesma coisa e nem todos possuem os mesmos pontos de vista. É justamente destas discordâncias que surgem os conflitos pessoais. Perceba que muitas pessoas são solitárias em decorrências de não concordarem com determinadas posturas de seus amigos, de seus familiares ou de seus companheiros e optam por viverem a sós.

Paulo e Barnabé eram amigos e pode-se afirmar que eram muito próximos. Foi justamente Barnabé quem apresentou Paulo aos demais discípulos logo após sua conversão, quando todos os discípulos não tinham plena confiança na conversão de Paulo. Havia certo temor se Paulo, outrora perseguidor, havia mesmo se convertido ou se estava maquinando alguma coisa contra os cristãos. Barnabé quebrou essa desconfiança e foi o elo que aproximou Paulo aos discípulos (At 9.26-27). 

Não se sabe o motivo de Marcos ter abandonado o grupo antes deste episódio, mas o certo é que essa desistência gerou em Paulo a vontade de rejeitá-lo na viagem (At 13.13). Perceba que se outrora Paulo foi auxiliado por Barnabé, agora era o mesmo Barnabé quem ajudava Marcos, então repudiado por Paulo que estivera na condição de rejeitado pelos discípulos logo após sua conversão.

Atente que há nos dias atuais grande dificuldade para resolução de conflitos pessoais, onde predominam as irredutíveis posições pessoais que não observam os ensinamentos de Jesus sobre uma convivência pacífica entre as pessoas (Mt 5.9). Neste sentido veja que muitos não liberam perdão e nem aceitam as desculpas de outros, mantendo firmes suas convicções. Paulo em nenhum momento se mostrou disposto a desculpar ou mesmo perdoar Marcos pela sua conduta anterior, contrário a isso, ele se mostrou firme e não permitiu que Marcos viajasse. Pode conjeturar que Paulo estava preso em eventos do passado, assim como muitos crentes atuais, dominados que são por fatos pretéritos e não conseguem enxergar e nem viver o amor que, hipocritamente, afirmam possuir. Reflita sobre isso!

Saiba que Jesus muito ensinou sobre amor, perdão e acima de tudo de reconciliação. Lembre-se que após negar a Jesus, Pedro não teve uma oportunidade para restaurar a comunhão com o Mestre, mas lembre-se que foi numa pescaria com outros seis discípulos, ao ouvir que era Jesus quem estava na praia, Pedro se atirou ao mar para encontrar o Mestre. Era Pedro procurando reconciliar após negar Jesus (Jo 21.3-6). Era Pedro quem tinha pendências com Cristo, e essa foi a razão de lançar-se ao mar antes dos demais. Ele demonstrou humildade e buscou pela reconciliação. Reflita isso!

Não se sabe quando, mas tempos depois desta situação entre Paulo e Barnabé, Paulo se reconciliou com Marcos, inclusive o trata como colaborador do seu ministério e antes de ser martirizado, o apóstolo solicitou a presença de Marcos, afirmando que ele seria muito útil nos derradeiros dias que lhe restavam (Cl. 4.10-11; 2 Tm 4.11). Compreenda que Paulo não deixou que o passado o prendesse e restabeleceu a comunhão com Marcos. As pendências foram sanadas. 

Saiba hoje, por meio deste episódio da importância de reconciliar e de restaurar a comunhão entre as pessoas, trazendo de volta a paz que havia no passado, fazendo valer o amor que Jesus anunciou. Compreenda, portanto, a urgência de resolver as pendências do passado para uma vida plena em Cristo, afinal de contas, no reino de Deus não há espaço para corações amargurados (Mt 5.8). Reflita isso!

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira – Pr

Ler 272 vezes
Mais nesta categoria: « GOVERNO MENU »

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE