Segunda, 26 Março 2018 22:49

MARATONA

Escrito por
Avalie este item
(3 votos)

MARATONA

“... deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta”(Hb 12.1)

 

A carta aos Hebreus não tem autoria definida. Para os teólogos pode ter sido Paulo quem a escreveu, outros apontam para Barnabé e existem mesmo aqueles que indicam existir grande possibilidade de não ser nenhum dos dois. Essa questão sobre a autoria não deve merecer tanta importância, pois relevante é ter a carta cumprido o seu papel de esclarecer e informar a supremacia de Cristo sobre os anjos, sobre os profetas e sobre Moisés, além de deixar pacífico que o sacrifício de Cristo foi suficiente e eficaz.

Naquela época (século I), era comum o uso de figuras de linguagem para que outras pessoas compreendessem melhor o que estava sendo apresentado. Assim, no versículo acima o autor usa a corrida de um atleta para expressar a caminhada do cristão rumo ao céu.

A cada espaço de quatro anos, o mundo todo se mobiliza em torno da realização das Olimpíadas. Uma cidade é escolhida antecipadamente e para lá se dirigem atletas de todas as modalidades esportivas de muitas nações. Passam um período de pouco mais de quinze dias competindo para ver quem será o grande vencedor de cada modalidade esportiva.

Veja que bem antes da data da competição, o atleta enfrenta um rigoroso treinamento. Todos os dias ele cumpre uma carga horária estafante de exercícios, tem sua alimentação balanceada e tenta a cada dia melhorar seu desempenho. Afinal ele é um competidor, almeja ganhar os louros da vitória, ser reconhecido como campeão e dentro deste contexto, ganhar fama, status e logicamente muito dinheiro. Este é o seu objetivo.

“Portanto, nós também..” (Hb 12.1). Diferente de outras cartas e livros da Bíblia, atente pela conjugação do verbo na primeira pessoa do plural. O autor da carta aos Hebreus se insere também como participante da mesma corrida ou seja, a ênfase é dar mostras que o autor também está participando da maratona cristã, rumo ao céu.

Entenda que diariamente o crente em Jesus é chamado para tomar uma decisão. Vive-se dia após dia decidindo coisas, desde o que comer pela manhã, que roupa vestir, o transporte para o trabalho, quando viajar e logicamente onde passar a vida eterna. Essa decisão de vida eterna passa pelas propostas e ofertas que o mundo dá, criando um confronto entre a vida secular e a vida cristã, com muitas e significativas diferenças entre elas.

Nas competições o atleta tem outros adversários do mesmo nível disputando um único troféu de campeão. É preciso estar concentrado, visando o foco da linha de chegada e não desviar o olhar para os lados. O cristão deve se posicionar da mesma forma, se para o atleta profissional a concentração na corrida é muito importante, para o cristão que participa da corrida rumo à vida eterna, não perder o foco é primordial (Hb 12.2). Noutras palavras, olhe para Cristo e não para a plateia. Reflita isso!

Perceba que nas Olimpíadas, há muitos competidores e um sempre vai desejar que o outro se machuque para não competir e desta maneira ficar de fora. Saiba que o crente compete também, mas contra si mesmo, ele compete contra o orgulho, contra o cansaço espiritual, contra as fraquezas da carne, contra o seu próprio ego, contra o pecado e contra tudo o que pode embaraçar sua corrida cristã. Pense seriamente nisso!

Incrivelmente, saiba que nos dias atuais, muitos cristãos estão competindo contra outros cristãos. É como se não houvesse vaga no céu para todos aqueles que depositam sua fé em Cristo. Muitos em vez de apoiar, de dar a mão e oferecer o ombro nesta dura maratona, optam em derrubar, em fazer tropeçar o atleta da mesma equipe. Muitos só enxergam seu próprio umbigo, como se os demais crentes fossem todos adversários, esquecendo-se do que disse Jesus sobre unidade (Jo 17.21).

Lembre-se que o discípulo João demonstrou mesquinhez e profundo egoísmo ao tentar impedir um homem que também expulsava demônios, libertando pessoas do maligno em nome de Jesus (Mc 9.38). João achava que aquele homem competia com eles e se sentiu incomodado pelo fato daquele não estar entre os doze. Foi repreendido pelo Mestre. Compreenda que ninguém detém o monopólio de Jesus. Ele veio para salvar a todos, todos (Jo 3.16). Reflita seriamente sobre isso!

Se nas Olímpiadas os atletas visam status, poder, fama, reconhecimento e dinheiro, entenda que os cristãos visam vida eterna e um reino de paz, justiça e alegria (Rm 14.7). Lembre-se que na maratona cristã rumo ao céu todos fazem parte do mesmo time de Cristo, portanto, ajude, incentive, mostre o caminho, seja sócio, seja parceiro, amém?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 261 vezes
Mais nesta categoria: « PLANO "B" CRISE »

Comentários   

+1 # SINVALDO Novais 29-03-2018 20:10
Amén muito bom que o Sr.Jesus te dar muita sabedoria para nos transmiter está palavra abençoada
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE