Segunda, 23 Abril 2018 16:02

INFLEXIBILIDADE

Escrito por
Avalie este item
(5 votos)

INFLEXIBILIDADE

“Vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo”.  (1 Pe 2.5)

 

Pedro foi o autor de duas cartas, ambas escritas nos idos de 65DC, e tinha como destinatários os novos convertidos, que naquela época, século I, enfrentavam grandes perseguições. Era necessário motivá-los na fé, de forma que as turbulências e adversidades não os vencessem e os deixassem para trás na caminhada cristã.

Dentre os doze discípulos, Pedro esteve juntamente com João e Tiago muito próximo de Cristo e pode-se dizer que presenciou muitos milagres acontecerem pelo poder da Palavra de Jesus. Pedro, durante o curto ministério do Messias, apresentou-se ora forte na fé, andando sobre as águas do Mar da Galileia, e fraco quando não sustentou a mesma fé e afundou nas águas. Foi ousado na palavra ao dizer a um aleijado na porta do templo em Jerusalém que olhasse para ele e pelo poder do nome de Jesus o coxo foi completamente curado. Demonstrou extrema confiança em Deus quando dormia na prisão confiante no livramento de Deus (At 12). Resumidamente, este foi Pedro, mas há muito mais nas escrituras sobre ele.

Perceba que as crianças, quando indagadas sobre o que desejam ser quando adultas, elas demonstram uma perspectiva muito flexível. Ora desejam fazer medicina e logo depois, já mudam para bombeiros. Ora querem ser engenheiros, construir casas e prédios e depois não querem mais a engenharia, agora desejam ser professores. Enfim, elas são flexíveis a ponto de mudarem de opinião ao simples olhar de uma nova opção ou quando novas circunstâncias se apresentam.

Veja que Paulo na carta aos Coríntios já dizia àqueles irmãos que eles deveriam ter uma postura inflexível sobre a graça de Deus. Essa orientação também se aplica aos crentes dos dias atuais, não se deve negociar a esperança de vida eterna, ou seja, se o cristão focar sua visão somente nesta vida terrena, Paulo o considerava um homem miserável (1 Co 15.19). Diferente das crianças que mudam suas opções futuras ao sabor de novas condições e profissões, entenda que o crente em Cristo deve enxergar seus objetivos espirituais de maneira implacável.

Percebe-se nos dias atuais uma gama de cristãos que buscam satisfazer seus desejos pessoais a todo custo (Jo 12.43). Buscam desesperadamente a glória humana em detrimento da glória de Deus e assim, seus pensamentos estão muito mais voltados para ganhar status, e olhando assim, brigam pelo poder, pelo dinheiro e pelas coisas terrenas (Mt 6.33). Estão mais interessados em acumular bens materiais aqui na terra e esquecem que o maior investimento é justamente o espiritual, ou seja, aquele cujo ganho é a vida eterna no céu. Coisas terrenas ficam por aqui mesmo. Reflita sobre isso!

Pedro sabia da possibilidade daqueles novos convertidos fracassarem pelas adversidades que viriam e desejou fortalecê-los na fé, mostrando a importância de firmar os passos deles junto àquele que os resgatou da escravidão do pecado. O objetivo de Pedro era que aqueles irmãos se posicionassem como pedras vidas de uma edificação invisível, enxergada pelos olhos da fé, cujo alicerce era Cristo, a pedra principal. Noutras palavras, Pedro os fazia entender que nesta edificação Cristo é a pedra principal, sobre cujo fundamento deviam estar eles, as demais pedras.

Atente nos dias atuais, que muitos não estão se fundamentando em Cristo. Diante de tantas ofertas mundanas, diante de tantos atrativos sutis e temporários, muitos estão colocando sua crença no homem, e este mesmo homem por meio de doutrinas próprias está moldando e modelando aqueles que o seguem, infelizmente. Em vez de pedras vivas, estes estão como tijolos, formatados e modelados, seguindo rituais e formalidades sob medida. Reflita seriamente sobre isso!

Pedro lembrava àqueles novos cristãos que eles tinham grande valor para Deus e deviam ser inflexíveis na liberdade que Cristo os havia colocado (Gl 5.1). Lembre-se que Jesus demonstrou e praticou um amor incondicional, livre de quaisquer formas preconceituosas. Saiba hoje e sempre que na igreja todos somos como pedras vivas, diferentes sim, e bastante, umas das outras, mas convergindo e sustentando o mesmo propósito de glorificar a Cristo, a pedra principal. Compreendeu?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 261 vezes
Mais nesta categoria: « AMOR ALEGRIA »

Comentários   

+1 # SINVALDO Novais 25-04-2018 22:33
Bem colocado hoje nos temos que focar e os novos convertidos estruturar na palavra porque não ta fácil
Os tempos estão trabalhosos e isso ai palavra neles.
Que o nosso Deus te abençoe hoje e sempre
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE