Milton Marques de Oliveira

Milton Marques de Oliveira

Terça, 31 Julho 2018 11:29

PROJETOS

PROJETOS

“mas, se é de Deus, não podereis derrotá-los; para que não sejais, porventura, achados até combatendo contra Deus.” (At 5.39)

 

Acima tem-se a palavra de um homem chamado Gamaliel, conhecido como doutor da lei e que foi professor de Paulo. Lucas é o autor do livro de Atos dos Apóstolos e o contexto dessa passagem está no momento em que Pedro e outros apóstolos foram presos por pregarem e ensinarem no templo judaico em Jerusalém (At 5.17-39)

Por vezes, as pessoas alimentam suas mentes com muitos questionamentos. Aliás, há um ditado popular que diz existir muitos mais perguntas que respostas, tal a quantidade de indagações que surgem sobre todos os assuntos. Unanimidade hoje em dia é coisa rara, sempre existirá alguém do contra, sempre terá um pessimista desejoso de fazer valer sua opinião.

Atente que Paulo, antes de sua conversão era um fariseu convicto, um homem temido pelos cristãos daquela época (At 22.1-5). Basta lembrar que ele esteve presente na morte de Estevão e confessou declaradamente que andava pelas cidades para prender e matar os cristãos. Aliás, prender e perseguir os cristãos eram o que estava ao alcance dos olhos de Paulo. Ele enxergava somente isso. Sua visão era limitada por aquilo que estava em sua mente (At 9.17-18).

“Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome perante os gentios, e os reis, e os filhos de Israel;” (At 9.15). Até então, Paulo tinha uma visão distorcida do cristianismo, mas quando de sua conversão Deus liberou essa palavra à Ananias e debaixo desta palavra, Paulo passou a deter, daquele momento em diante, toda capacitação para realizar os propósitos que Deus tinha para ele. Era fariseu e não qualificado para falar sobre a salvação pela graça de Deus. Sua visão limitada à lei mosaica mudou para a graça de Cristo, e Deus ampliou o alcance dos olhos dele para realizar aquilo que Deus requeria. Traga isso para sua vida!

Como ferramenta nas mãos de Deus, Paulo recebeu livramento até que todos os propósitos divinos fossem integralmente cumpridos. Lembre-se que cobra o picou, foi açoitado, esteve preso, passou fome e sede, sofreu chicotadas, navio naufragou, mas nada derrotou Paulo, nada deteve aquilo que Deus projetou para ele fazer, porque tudo isso estava dentro dos projetos que Deus idealizou para ele realizar (2 Co 11.25-27). Somente ao findar a missão, Deus o recolheu. Compreenda que nada segura os planos de Deus!

Noutro giro, Maria, mãe de Jesus, se assustou quando o anjo lhe disse que ela conceberia um filho do Espírito Santo (Lc 1.31-34). Certamente que muito nova, ela não estava preparada para vivenciar aquela situação e nem entendia como iria funcionar a coisa, mas Deus projetou o plano de salvação para a humanidade e Maria foi incluída. Ela não pediu essa inclusão, mas este era o propósito de Deus e o anjo enviado falou que ela iria engravidar. Não havia como recusar um projeto que foi pensado antes da fundação do mundo!

Entenda que Deus usa as pessoas para realizar sua vontade. Deus inclui as pessoas mesmo que elas vejam ser impossível participar pelas circunstâncias do momento. Na visão de Maria, sendo virgem e não ter conhecido homem, a gravidez era algo impensável. Mas essa impossibilidade estava restrita ao campo de visão dela, uma visão humana e limitada. Para equacionar o questionamento dela, a anjo traz à memória a informação da gravidez de Isabel, então estéril e idosa. Sem resposta, Maria viu que não há impossibilidade a ser analisada quando Deus quer fazer cumprir os seus projetos. Saiba disso!

Perceba hoje e sempre, que a visão humana é limitada e racional. Quando Deus diz que pode fazer tudo o que deseja, ELE realmente faz, aliás, Deus pode todas as coisas. Para os sacerdotes que davam ordens a Paulo era impossível ele se converter, e Maria acreditava ser impossível engravidar sem a participação masculina. Eram visões racionais implícitas ao homem! Mas Deus não enxergava como os sacerdotes e nem via a gravidez de Maria como ela raciocinava. Reflita isso!

Compreenda que tanto Paulo quanto Maria estavam dentro dos planos que Deus ia realizar, muito embora tivessem visões incompatíveis com os projetos de Deus. Paulo era inimigo do cristianismo e Maria era virgem. Ambos estavam dentro da racionalidade humana e totalmente fora dos projetos de Deus. 

Lembre-se que os planos de Deus certamente não vão combinar com a visão humana. Gamaliel deixou isso muito claro quando disse aos sacerdotes que confrontaram Pedro e isso serve para os dias de hoje (At 5.38-39). Quem se levanta contra os projetos de Deus, pode estar lutando contra Deus e lutar contra Deus é entrar em campo já derrotado. Todos os que levantaram contra Paulo e Maria saíram de cena, e o plano de Deus caminhou soberanamente!

Deus mudou a história de Paulo e mudou a história de Maria porque ambos acreditaram na palavra que foi liberada sobre eles. Ambos tinham visões limitadas, mas acreditaram nos planos de Deus. Pode parecer loucura, mas o que Deus projetou, nada e ninguém podem impedir. Tenha isso no seu coração!

Jesus Cristo, Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Segunda, 23 Julho 2018 15:03

IDEOLOGIA

IDEOLOGIA

“Porém, Pedro replicou: De maneira alguma, Senhor! Porquanto jamais comi alguma coisa profana ou impura”. (At 10.14)

 

O livro de Atos dos Apóstolos foi escrito por Lucas, o mesmo que escreveu o Evangelho de mesmo nome. A descida do Espírito Santo, a conversão do fariseu Saulo, as primeiras conversões ao cristianismo, os milagres, as viagens missionárias de Paulo e as primeiras comunidades cristãs, tudo isso e muito mais fatos importantes do começo do cristianismo estão registrados no livro de Atos.

A sociedade é um grande mosaico. Pessoas diferentes, profissões diferentes, culturas diferentes, visões políticas diferentes e ideologias distantes umas das outras. Enfim, dentro da sociedade tem-se de tudo e compreender essas diferenças é um excelente caminho para uma convivência harmoniosa e pacífica.

O discípulo Pedro era judeu. Muito embora ele tenha acompanhado Cristo por três anos, ainda tinha uma forte ideologia fundamentada nos princípios judaicos. Num momento de oração, Pedro viu e escutou em visão a oferta de se alimentar de alguns animais considerados impuros. Assim não era surpresa nenhuma que ele se posicionasse firmemente em não comer determinados alimentos, tidos como impuros pela lei mosaica.

Rapidamente ele refugou, se agarrando nas crenças e nos princípios religiosos que vivia, mas a mesma voz lhe repreendeu, afirmando que Deus os havia purificado (At 10.9-15). Foi a partir dessa visão que Pedro quebrou seus paradigmas religiosos e foi se encontrar com o centurião romano de nome Cornélio, iniciando a pregação do evangelho aos não judeus (At 10.1-2). Lembre-se que antes de ir visitar Cornélio, Pedro hospedou em sua casa os mensageiros de Cornélio e muito provavelmente eles almoçaram e jantaram juntos. Veja aqui Deus mais vez jogando por terra os alicerces do preconceito de Pedro em relação aos não judeus, considerando que um judeu jamais se assentaria à mesa com um estrangeiro, ainda mais se fosse romano (At 10.23).

Atente nos dias atuais, a necessidade de quebrar muitas barreiras de forma que o evangelho do reino de Deus possa alcançar outras pessoas. Numa sociedade com tantas diferenças, ainda prevalece o preconceito, a soberba e a arrogância como sinais preconceituosos de pessoas que se dizem cristãos. Pedro carregava uma forte ideologia que contrariava os ensinamentos recebidos de Jesus. Cristo recebia e se assentava com estrangeiros, fariseus, saduceus, publicanos, prostitutas e ladrões. Nenhum desses teve sua presença ignorada por Jesus e o incrível era que seus discípulos presenciavam isso, inclusive Pedro. Depois da morte e ressureição de Cristo, parece que Pedro esqueceu tudo aquilo que fora ensinado e agiu de maneira preconceituosa até ser confrontado em seu coração e mudar sua mentalidade. Reflita seriamente nisso!

Quebrar paradigmas e aceitar que num ambiente social todos precisam de todos é o primeiro passo para uma convivência equilibrada e digna (Rm 2.11). Aceitar as diferenças e reconhecer que elas podem se completar, é enxergar a vida de forma plena. Saiba que a fé em Cristo tem a força de ultrapassar as barreiras, quebrar crenças pessoais, vencer os preconceitos e agregar todos numa só visão (Jo 17.20-21). Atente nos dias atuais para a dificuldade de muitos em processar o ensinamento de Jesus sobre unidade, assunto que foi corroborado pelo apóstolo Paulo que ilustrou este conceito usando o corpo humano como exemplo (1 Co 12.12-14). O amor de Deus não faz acepção de pessoas, ele quer e deseja salvar a todos, dando a mesma a oportunidade do arrependimento (2 Pe 3.9).

Livre do preconceito Pedro foi um instrumento usado por Deus para não só exemplificar a mudança de uma mentalidade arcaica que reinava no mundo de então, como mostrar e aplicar aos dias de hoje, que para Deus não há acepção de pessoas (At 10.34). Deus trata todos de maneira justa e igualitária. Reflita sobre isso!

Pedro compreendeu bem a visão celestial. Não criou confusão e entendeu rapidamente que precisava mudar suas convicções, seus valores e seus princípios e se assemelhar ao Mestre no trato com as pessoas. Veja que nos dias atuais, muitos carecem mudar radicalmente seus juízos, ainda presos a conceitos ultrapassados e obsoletos que corrompem e matam, impedindo desta maneira que outros possam conhecer da graça de Deus (Gl 5.1). Pedro foi esperto, ele se livrou de sua implicância e, obediente à voz do Espírito de Deus, descortinou um grande campo sedento para receber as boas novas do evangelho da salvação e vida eterna.  

O grande desafio da fé cristã é não perder de vista a intenção de Deus em salvar a todos, indistintamente, e lembre-se, no céu não há limites de vagas. Seja, portanto, a mensagem de Cristo a todos quanto Deus te enviar, sem preconceito. Pratique isso!

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre.

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

 

PUBLICIDADE