Milton Marques de Oliveira

Milton Marques de Oliveira

Sábado, 17 Janeiro 2015 12:43

CHEIO DO ESPÍRITO SANTO

Cheio do Espírito Santo

“E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por ele como se chora amargamente pelo primogênito; (Zc 12.20)

 

Esse versículo se encontra dentro de um contexto maior, citado pelo profeta Zacarias sobre a volta de Cristo e o estabelecimento de seu reino. Este contexto diz sobre a rejeição dos judeus a Jesus, a quem crucificaram e sobre o mesmo Jesus que se revelará pelo seu Espírito.

Embora a passagem cite os habitantes de Jerusalém e a Casa de Davi, importante perceber que o Espírito Santo (o Consolador) foi prometido por Jesus (Jo 14.16), quando instruía seus discípulos, condicionando a vinda do Espírito Santo com o amor e a guarda de seus mandamentos (Jo. 14.15). Assim, fica clara a vinculação que o Espírito Santo tem com a efetiva prática dos mandamentos de Jesus. Sem essa vinculação, não há a presença do Espírito Santo!

Esse “derramarei”, escrito e predito pelo profeta Zacarias, foi cumprido no século I quando Jesus enviou o Consolador a seus discípulos, e ainda hoje é enviado diariamente aos filhos de Deus, e será continuamente, até que estes mesmos filhos de Deus sejam levados para morar com Cristo eternamente.

Jesus deixou claro que rogaria ao Pai e em resposta, o Consolador viria para morar nos corações dos discípulos (Jo 14.17), todavia, relevante conhecer e diferenciar que “ter” o Espírito Santo é uma coisa que ocorre com todos os crentes, já que nosso corpo é sua morada, ou seja, nosso corpo é o templo do Espírito Santo (1 Co 6.19), mas ser “cheio” do Espírito Santo é um privilégio e dever de todo cristão (At 4.29-31). 

Estar cheio do Espírito Santo é ser revestido de poder, é andar em sua plenitude e alinhado com o querer de Deus. O batismo com o Espírito Santo concede ousadia na Palavra de Deus, contempla operações de sinais e maravilhas para o engrandecimento de nosso Senhor. Acima de tudo o Espírito Santo é o penhor da promessa e da nossa herança (Ef 1.14)

Uma boa lembrança de estar cheio do Espírito Santo é o caso do apóstolo Pedro, que ergueu sua voz e, revestido pelo Poder do Espírito Santo, converteu mais de três mil pessoas logo após o Pentecostes (At 2.41).

Tratava-se do mesmo Pedro, inconstante e impulsivo, que anteriormente havia negado a Cristo por três vezes consecutivas, mas agora, cheio do Espírito Santo, usou a voz para mostrar o caminho da verdade a milhares de incrédulos. Por um período pequeno, Pedro foi reconhecido como um dos líderes da comunidade cristã/igreja primitiva.

Assim como Pedro, sejamos cheios do poder do Espírito Santo.

Deus os abençoe!

 

Milton Marques de Oliveira

 

 

Quinta, 08 Janeiro 2015 20:44

TRANSPLANTE DE CORAÇÃO

Transplante de coração

“Eu lhes darei um coração novo, e porei em vocês um espírito novo. Tirarei de vocês o coração de pedra, desobediente, e lhes darei um coração bondoso, obediente. Ez 36.26”

 

Passagem do livro do sacerdote e profeta Ezequiel (profetizou fora de Judá para toda a casa de Israel) e que foi levado cativo pelos babilônios no ano 597 AC, período em que os judeus foram deportados. Considerando que muitas de suas mensagens foram recebidas por meio de visões, ele é também conhecido como o profeta das visões, e uma de suas profecias mais conhecida é a visão do vale dos ossos secos. Suas profecias, conforme Deus ia revelando, estão ordenadas de maneira cronológica, o que muito ajuda no estudo de seu livro.

Nos idos de 1968, o médico brasileiro Dr. Euryclides Zerbini, entrou para a história da medicina ao realizar o primeiro transplante de coração no país. Hoje, já se vão 47 anos. Depois dessa cirurgia ele fez muitas outras. Alguns de seus pacientes tiveram uma sobrevida de dias ou meses, outros nem tanto, mas ele entrou mesmo na história pelo pioneirismo do procedimento, trocou um coração por outro.

O profeta Ezequiel, após a destruição pelos babilônios da cidade de Jerusalém e do templo, passou a dar mensagens de esperança e conforto ao povo, então desobediente e que não ouvia mais a voz do Senhor, afirmando que Deus iria reunir novamente seu povo em sua própria terra. Isso efetivamente ocorreu após os setenta anos de cativeiro (Jr 29.10), quando a nação seria restaurada.

Justamente nesta restauração é que Deus fala a nação de Israel por meio do profeta (versículo em destaque), que daria um novo coração,um espírito novo, arrancaria o coração de pedra, mal e desobediente, e daria outro coração bondoso e obediente. Este novo coração, transformado por Deus, era o contrário do coração velho, mal e desobediente. Por ter tantos males em seu interior, foi necessário que Deus agisse, corrigindo os judeus em um exílio nas terras babilônicas.

Veja que o Dr. Zerbini, com toda sua capacidade intelectual salvou da morte terrena muitas pessoas, algumas até mesmo sem nenhuma esperança de viver mais uns dias ou meses. Ele transplantava o coração de um peito para outro. Tirava um doente e colocava um coração bom e todos ficavam felizes até que este mesmo coração parava definitivamente e aí, nada mais podia ser feito. Era o coração de carne, músculo, órgão do corpo humano.

Mas e o coração espiritual? Se um exame pudesse mostrar os males que ele apresenta, certamente isso deixaria muitos preocupados. Falta de perdão, maus pensamentos, rancor, inveja, ciúmes, ódio, as mentiras e as calúnias, imoralidades sexuais, desejos imundos, corrupção e amargura (Mt 15.19) e muitos outros males. Tudo isso afeta seu desempenho, trazendo o mal funcionamento e levando o indivíduo para a perdição.

Todavia, nós temos Jesus! Aleluia! Que sara e transforma corações desde o início da humanidade, e da mesma maneira que ELE prometeu restaurar os corações do povo judeu ao retornar do cativeiro, ELE nos promete um coração novo, transformado, regenerado. Um coração que rejeita o pecado, que ama a justiça, que despreza as imundícias deste mundo, que ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo, que sente alegria nas coisas espirituais e abomina as provenientes da carne.

Para isso ELE morreu pelos nossos pecados, fez um sacrifício único na cruz do calvário e hoje, qualquer um pode ter um coração novo, transformado, bastando tão somente aceitar Jesus como seu suficiente Salvador.

Se hoje, ouvir a Sua voz, não endureçais o vosso coração (Hb 3.15), mas receba Cristo e tenha um novo coração.

Deus o abençoe!

 

Milton Marques de Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

 

Quarta, 31 Dezembro 2014 19:08

ANO NOVO

ANO NOVO

 

Daqui a algumas horas, estaremos  deixando para trás mais um ano. Muitos estão findando o ano, decepcionados ou  pensando que poderiam ter feito muito mais. Muitos tiveram perdas, foram injustiçados e gostariam que esse ano nem tivesse existido.

Por outro lado, outros o viram como um ano de oportunidades, de crescimento e agora estão a fazer a sua contabilidade, somando os pontos positivos.  Em seu intimo desejam, que 2015 seja tão bom ou melhor do que 2014.

São os chamados sortudos ou quem sabe, os que souberam aproveitar todas as oportunidades e não desperdiçaram nenhuma chance.

Não sei em que quadro você se encaixa, mas sei de uma coisa, que Jesus Cristo tem poder para fazer tudo novo, basta deixar o passado para trás e olharmos para Ele, como aquele que transforma as perdas em ganhos, tristeza em alegria, o momentâneo em eterno e o derrotado, em vencedor.

Não dá mais para voltar e correr atrás do que passou! Então se levante e esteja disposto a enfrentar os desafios que virão, a aprender que não podemos permanecer no erro e estar dispostos a reconhecer, que sem Jesus, não haverá mudança e a história continuará a mesma (2 Co 5.17).

O que você vai escolher? Hoje é o dia do balanço.

Fazer de 2015 uma continuidade de 2014 ou  fazer uma retrospectiva, pegar tudo o que foi bom, que te edificou, que o fez crescer e lançar fora o que restou, pois com certeza não servirá para nada, a não ser ocupar um lugar desnecessário.

Queremos desejar a todos um Feliz Ano Novo, debaixo das bênçãos do Senhor Jesus.

 

Irmã Verinha e equipe do Ministério Ouvindo o Clamor das Naçoes

 

 

 

 

 

 

Quinta, 25 Dezembro 2014 16:50

FELIZ NATAL

Feliz Natal

Nos dias que antecedem o dia 25, predomina em todas as cidades o denominado “espírito natalino”, com as clássicas melodias, os enfeites nas praças e nas casas, muitas luzes, muitos brilhos e, obviamente, para alegrias dos comerciantes e da economia como um todo, as compras de presentes. Homens, mulheres e principalmente as crianças se alegram com expectativas de darem e ganharem presentes.

Particularmente, entendo que o cristão deve aproveitar o dia de Natal para, diferentemente de todos, fazer a apresentação de Jesus Cristo a todos aqueles que ainda não o conhecem. Se já tínhamos a convicção de pregar os ensinamentos de Cristo e de mostrar a importância da salvação eterna, mais ainda quando o mundo secular celebra essa festa.

Essa apresentação pode e deve ser realizada por meio de cantatas nas igrejas, pela realização de cultos especiais, por meio de programas televisivos e/ou radiofônicos, por meios de publicação de textos, enfim, por todos os meios que possam alcançar as pessoas.

Como cristãos, conhecemos o verdadeiro sentido do natal. Vivemos nesse mundo, mas não somos dele (Jo 17.16) e neste contexto, quanto a celebração do dia, compreendo que se trata de um momento como qualquer outro. Dar e receber presentes, confraternizar com os amigos e familiares são fatos que podem acontecer em qualquer dia do ano, e se isso acontece no dia 25 de dezembro, qual o problema?

Radicalizar e abster de confraternizar com os familiares e amigos pode não ser o correto. Paulo, em sua carta aos coríntios já ensinava que todas as coisas são lícitas, mas por nenhuma delas se deixaria dominar (1 Co 6.12), e acredito que isso se aplica ao natal.

Celebremos Cristo todos os dias, para isso Ele nasceu, morreu e ressuscitou para nos dar o maior presente: A salvação da nossa alma.

Deus os abençoe!

Milton Marques de Oliveira

 

 

 

 

PUBLICIDADE