Milton Marques de Oliveira

Milton Marques de Oliveira

Quinta, 07 Maio 2015 20:14

ESTUDE A BÍBLIA.

ESTUDE A BÍBLIA

“Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores. Mt 7.15”

 

O Evangelho Segundo Mateus foi escrito por um discípulo do Mestre, ou seja, Mateus foi chamado por Jesus para segui-lo (Mt 9.9) e seu evangelho é a porta de entrada do Novo Testamento. Mateus era judeu, coletor de impostos para o Império Romano e assim, pode-se inferir que não era como os demais discípulos que mal sabiam escrever. O nome Mateus foi dado por Jesus, na verdade ele se chamava Levi, era filho de Alfeu (Mc 2.14).

Nessa passagem que destacamos, Jesus ensina sobre os falsos profetas, mostrando sobre a necessidade de afastar-se deles, pois são como lobos que devoram as ovelhas. Dentro da onisciência divina, Jesus já previa que tempos depois de sua ressurreição, viriam outros que tentariam enganar os cristãos, com falsas doutrinas e com um evangelho diferente.

Obviamente que esses falsos ensinadores não se prestam a difundir sua teologia fora da igreja, uma vez que o mundo lá fora já está fechado com o maligno (1 Jo 5.19), assim, nada mais natural que procurem infiltrar nas igrejas para propagandearem seus falsos ensinos e suas fraudes.

A maneira mais fácil para identificar aquilo que é falso ou que é engano, é simplesmente conhecer profundamente o seu oposto, ou seja, conhecendo verdadeiramente a Palavra de Deus a pessoa tem plenas condições de detectar aqueles que professam um falso evangelho.

Percebe-se com muita frequência, a difusão nas redes sociais de diversas inovações e modismos dentro das igrejas, favorecidos que são pelas tecnologias atuais que rapidamente as transmitem, e onde pode-se observar introduções de heresias que outrora foram preditas pelo apóstolo Pedro (2 Pe 2.1), inclusive com seguidores fiéis.

O apóstolo Paulo que estabeleceu diversas igrejas no mundo de então, também já alertava que depois de sua partida, lobos ferozes iriam adentrar nas igrejas e não poupariam ninguém. E disse mais, que homens dentro da própria igreja iriam se levantar para distorcer a verdade a fim de atrair adeptos para si (At 20.29-30).

Embora seja uma realidade, isso não é o fim, pois conhecendo a verdade, conhece-se a mentira e seus tentáculos. Nisso encontra sustentação a importância dos estudos das Sagradas Escrituras que visam capacitar o cristão a não aceitar doutrinas que não pregam os ensinamentos deixados por Jesus (2 Co 2.17). A vontade de Deus com relação à Bíblia é que seus filhos meditem e examinem as Sagradas Escrituras (At 17.11). A Bíblia é ferramenta indispensável na vida cristã, é o livro texto de todo cristão e instrumento primordial para não ser levado em roda de todo vento de doutrina (Ef 4.14).

Vamos, portanto, a cada dia, nos aprofundar no estudo da Bíblia! Amém?

Deus os abençoe.

 

Milton Marques de Oliveira

Quinta, 30 Abril 2015 10:00

A FORÇA DO MAL!

A FORÇA DO MAL

“Respondeu-lhe Pedro: Senhor, estou pronto a ir contigo tanto para a prisão como para a morte.  Lc 22.33.”

O versículo acima, registrado no Evangelho Segundo Lucas, mostra o diálogo do Mestre com seu discípulo Pedro, momento em que Jesus enfaticamente não só prediz que Pedro o negaria como prediz ainda o momento temporal dessa traição (v.34). Essa passagem também encontra registro nos Evangelhos Segundo Mateus, Marcos e João (Mt 26.33-34; Mc 14.27-31; Jo 13-36-38).

Observa-se que diariamente o crente é tentado a cometer pecados de toda ordem, desde aquelas mentirinhas que “não dão em nada”, até mesmo aqueles pecados que trazem impactos maiores, tanto no seio da igreja como no ambiente familiar. Já o incrédulo não sofre as tentações do Diabo, justamente por fazer parte de seu time, ou seja, mantém sua vida e seu comportamento moral afastados de Deus.

O discípulo Pedro, ante a afirmativa de Jesus de que o negaria, respondeu taxativamente que aquilo não iria acontecer, e que estava pronto a ir com Jesus tanto para a prisão como para a morte, ou seja, Pedro não aceitava o que iria ocorrer, talvez, fundamentado em sua força espiritual.

Subestimar o poder de Satanás é temeroso. Circunstâncias de momento e fraqueza na fé podem ser a oportunidade para o agir de Satanás. Pedro realmente negou a Jesus.

Em diversos momentos, as Sagradas Escrituras mostram a atuação de Satanás. Perceba que Abraão, Sansão e tantos outros personagens bíblicos foram tentados pelo Diabo a realizarem coisas que não eram da vontade de Deus. Tem-se que o rei Davi foi um homem obediente a Deus, tinha fé e conforme o profeta Samuel, um homem segundo o coração de Deus (1 Sm 13.14), entretanto, sofreu a tentação de Satanás e pecou gravemente com a mulher de Urias (2 Sm 11.2).

Não valorizar as investidas de Satanás pode ser um grande erro do crente (2 Co 2.11). Acima temos exemplos reais de pessoas que foram vencidas pelo poder de Satanás, pessoas próximas de Deus e que não tiveram forças para resistir ao ataque e pecaram.

Nos dias atuais a situação somente muda de endereço. Satanás continua agindo e conduzindo crentes para a perdição na prática de toda espécie de pecados e crimes, com sérias consequências físicas e espirituais.

Sozinho o crente não consegue vencer o Diabo. Todos os dias os crentes são tentados, inclusive Jesus também foi tentado pelo Diabo no deserto, todavia, a vitória contra o pecado vem pelo conhecimento da Palavra de Deus!

O Diabo conhece o ponto fraco do crente, entretanto, o mesmo Pedro que negou Jesus ensina que a sensatez e a vigilância fazem parte das estratégias para vencê-lo: permanecendo firme na fé e consciente do ataque (1 Pe 5.8-9).

É necessário resistir com determinação e firmeza na Palavra de Deus a todo e qualquer ataque de Satanás. Veja que José resistiu aos ataques da esposa de Faraó e foi exaltado por Deus como governador do Egito (Gn 41.39-40). Em Cristo somos mais que vencedores, já dizia o apóstolo Paulo na carta aos Romanos (Rm 8.37).

Sejamos, pois criteriosos e não subestimamos a força do mal. Amém?

Deus os abençoe!

 

Milton Marques de Oliveira

Terça, 28 Abril 2015 18:16

27/04/2015 - Culto com Poder e Milagres

Quarta, 22 Abril 2015 20:05

NÃO SEJA INGRATO!

NÃO SEJA INGRATO!

Lucas 17.11-19 - (Cura de dez leprosos)

Nos primórdios, o Senhor Deus orientou Moisés, que retirasse das cidades (arraial), todo leproso, ou seja, todo homem, toda mulher e toda criança que estivesse doente para evitar que o doente contaminasse os demais. Era uma maneira de Deus exigir a pureza do seu povo (Nm 5.1-4). Decorridos muitos anos, essa conduta ainda era praticada no século I, nos tempos de Jesus.

Dois detalhes nessa passagem que sustenta este texto e registrado no livro de Lucas devem ser observados: o primeiro é que este milagre operado por Jesus não é registrado em nenhum outro evangelho e o segundo, uma leitura mais atenta mostra que Jesus estava em Samaria, lugar onde os judeus não eram bem vindos, em virtude da animosidade entre estes e os samaritanos. Todavia, Jesus veio para salvar a todos, inclusive os samaritanos (1 Jo 2.2).

Este feito de Jesus era algo normal em sua vida terrena, ou seja, a cura e libertação de pessoas que imploravam por uma palavra, um gesto ou mesmo um pouco de atenção daquele que não só operava milagres e fazia maravilhas, mas acima de tudo, pregava que a salvação era pela graça de Deus, confrontando com a salvação pelo mérito da Lei de Moisés.

Narra o escritor, que Jesus curou dez leprosos de uma só vez e determinou que eles se apresentassem ao sacerdote, não para que o sacerdote avaliasse a cura feita pelo Mestre, mas para o fiel cumprimento da Lei de Moisés, que determinava alguns procedimentos para que voltassem ao convívio com os demais no arraial (Lv 13.4-6).

Todavia, dos dez doentes que foram curados por Jesus, um voltou para agradecer, voltou para dar glórias a Deus, voltou para glorificar o nome de Jesus. Matematicamente, podemos afirmar que somente 10% dos que foram curados, voltaram para agradecer pela restauração de sua saúde.

Lucas, médico de formação, quando escreveu o evangelho, deixou claro que os fatos registrados em seu Evangelho, foram devidamente testemunhados por pessoas que presenciaram o evento, mas aqui, ele poderia falar um pouco mais sobre os dez leprosos. Poderia dizer quem eram essas pessoas, e se dentre eles havia um saduceu, um fariseu, um comerciante ou um agricultor e poderia, como médico, descrever os devastadores sinais dessa doença. Poderia dizer que a lepra consome a carne, os tendões, os músculos e deixa seu portador irreconhecível. Mas isso de nada valeria, nada acrescentaria ao feito de Jesus, senão a título de informação.

Jesus curou dez leprosos e destes, somente um voltou para agradecer. E este que voltou nem era judeu, era samaritano. Voltando para agradecer ele prostrou-se aos pés de Jesus com o rosto na terra e rendeu-lhe graças.

Jesus curou no passado e tem realizado curas e milagres nos dias atuais. Aqueles leprosos gritaram pela misericórdia de Jesus e hoje, isso não é diferente. Percebe-se que muitas pessoas procuram por Cristo, apresentando diversos problemas, muitos destes problemas com soluções quase impossíveis, mas Jesus, pela sua misericórdia, tem realizado milagres, tem transformado corações e tem libertado pessoas da escravidão de Satanás.

As pessoas recebem sua benção e simplesmente esquece-se de Jesus. Desaparecem! Assim como os nove leprosos, somem depois de terem sido contemplados pelo amor e pela misericórdia do Senhor.

Mas esse comportamento tem nome: ingratidão! Incrível como as pessoas, então dominadas pela tristeza, com o coração angustiado, aflito, servo do pecado e quando se vê liberta pelo poder salvador de Jesus, não possuem a sensibilidade de voltar, agradecer e render-lhe as glórias pela transformação que só Jesus pode operar!

De outra forma, a gratidão implica em dívida. Ora, se recebemos uma benção do Senhor, nada mais natural que voltemos nosso coração para agradecê-lo.  Somos devedores a Jesus!

Pela Sua misericórdia, ELE nos curou, nos libertou do pecado, nos transformou em novas criaturas e tudo isso sem que fôssemos merecedores. Sejamos, portanto, gratos a Deus por tudo o que ELE tem nos proporcionado. Amém?

Deus os abençoe!

 

Milton Marques de Oliveira

Quarta, 22 Abril 2015 12:14

20/04/2015 - Culto com Poder e Milagres

PUBLICIDADE