Segunda, 07 Janeiro 2019 14:59

RECORDAÇÕES

Escrito por
Avalie este item
(5 votos)

RECORDAÇÕES

“Em verdade vos digo que, em todas as partes do mundo onde este evangelho for pregado, também o que ela fez será contado para sua memória”. (Mc 14.9)

 

Marcos não foi discípulo de Jesus e escreveu seu evangelho apresentando Jesus como servo, aquele que veio para servir. Também identificado como João Marcos, (membro de uma família que já seguia os passos de Jesus e que morava em Jerusalém) ele foi ajudante de Paulo, Barnabé e Pedro, aliás, de quem certamente obteve muitas informações que basearam sua narrativa (At. 12.12). Existem poucas informações sobre a pessoa de Marcos, mas segundo os estudiosos o anônimo enrolado em um lençol que estava nas proximidades da crucificação de Jesus teria sido o próprio Marcos (Mc 14.51).

Com raras exceções, saiba que as pessoas gostam de serem lembradas do que fizeram ou do que deixaram de fazer. E quando essas lembranças caem no gosto popular pelo lado positivo, sobressai o orgulho, afinal de contas ele ou ela está sendo lembrado por uma ótima participação, e essa recordação positiva provoca uma sensação de bem estar, traz alegrias e honra. O contrário disso também é verdadeiro, causa constrangimento quando as recordações são provocadas pelas realizações ruins, negativas ou impróprias.

Jesus foi abordado por uma mulher de nome Maria, a mesma que teve a alegria de ver seu irmão Lázaro ressuscitado. Jesus estava assentado e a narrativa diz que ela derramou sobre ele um perfume muito caro pelos padrões daquela época. Sua atitude era um sinal de adoração, de reconhecimento e de honra. Jesus recebeu aquela adoração, mas os discípulos que estavam acompanhando o Mestre se indignaram e não perderam a oportunidade de comentar que Maria poderia ter dado outro destino ao perfume (Mc 14.4-5).

Entenda bem que Maria procurou por Jesus e pode-se acreditar que ela estava alegre e bem disposta. Pode-se conjeturar ainda que ela tenha gastado toda sua economia para adquirir o perfume e isso inclusive também foi alvo das críticas dos discípulos, que diziam que Maria poderia vender o perfume e dar o dinheiro aos pobres.

Atente que muitas pessoas procuram por Cristo quando enfrentam grandes tragédias familiares, quando são vítimas de injustiça, quando precisam de milagres ou quando nada mais dá certo em sua vida. Provavelmente que Maria não passava por nenhuma dessas situações, ela estava extremamente satisfeita, aliás, dias antes ela havia presenciado a ressurreição de seu irmão Lázaro, justamente aquele que já estava no sepulcro e ao chamado de voz de Cristo, saiu do túmulo. Resumindo, Maria não chegou pedindo nada, não chegou murmurando, nem reclamando, ela chegou ali simplesmente para adorar. Numa frase bem popular, era a fome com a vontade de comer. Pense!

Traga esse episódio para nossos dias e veja a grande semelhança de muita gente com os discípulos que fizeram comentários maldosos contra Maria. Hoje, muitos chegam às igrejas com pensamento de consumidor, se portam como clientes de lojas de departamentos, olhando tudo ao redor e chamando a atenção das pessoas pelos comentários e julgamentos que fazem sem nenhum rodeio. Ou seja, em vez de dedicarem seus tempos para adorar Cristo, essas pessoas fazem as mesmas coisas que os discípulos fizeram e pior, perversamente seus comentários influenciam e contaminam outras pessoas a terem o mesmo procedimento. Isso te faz lembrar alguma coisa recente?

Perceba que ao final, Jesus não só recebeu a adoração, como fez questão de afirmar que Maria seria lembrada no futuro pela sua atitude (Mc 14.9). O ato daquela mulher em adorar, em ofertar a Cristo o que ela tinha de melhor, pode ser visto como gratidão ao analisar a pergunta do salmista sobre o que ele daria a Deus por todos os benefícios que o Senhor tinha lhe ofertado (Sl 116.12).

Uma frase secular diz que a flecha que sai do arco, a palavra dita e a oportunidade perdida não voltam atrás. É neste contexto que Maria não perdeu a oportunidade de adorar, glorificar e exaltar o Mestre e de forma contrária, os discípulos perderam a excelente oportunidade de ficarem calados diante da manifestação daquela mulher. Maria será lembrada pela sua adoração e os discípulos serão lembrados pelos comentários extremamente inoportunos. Perceba as diferenças de recordações e reflita nisso!

Neste contexto, não esqueça que decisões e escolhas tomadas no dia de hoje certamente serão lembradas por outras pessoas amanhã, portanto, adore a Deus com excelência e caso não possa adorar, não critique quem adora, permaneça calado. Guarde isso no seu coração!

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 1119 vezes Última modificação em Segunda, 07 Janeiro 2019 15:27
Mais nesta categoria: « DESEJOS TEMPESTADE »

Comentários   

+2 # Edson Ramos 12-01-2019 14:54
Mais um texto enriquecedor. Que sejamos lembrados pelas boas ações e nunca pelas críticas ou opiniões inoportunas.
Responder | Responder com citação | Citar
+1 # Angelita 22-01-2019 08:54
Lindo texto meu pastor
Que cada vez ++++ possamos ser usados nas mãos de Deus para construir - demonstrando a Ele nossa adoração
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE