Segunda, 07 Maio 2018 23:34

ENCONTRO

Escrito por
Avalie este item
(6 votos)

ENCONTRO

“Tornaram, pois, os discípulos para casa.”  (Jo 20.10)

 

João, o escritor deste evangelho, era judeu e irmão de Tiago. Ambos foram discípulos de Jesus e em relação aos demais discípulos, João, Tiago e Pedro estiveram mais próximos do Mestre, participando de praticamente todos os momentos decisivos de curas, milagres e libertações. João escreveu este evangelho, três cartas e o livro escatológico de Apocalipse e dentre os doze discípulos, foi quem mais escreveu. Grande parte dos discípulos de Jesus o abandonou durante seu julgamento, exceto João que o acompanhou e recebeu dele a mensagem para cuidar de Maria, como se filho dela fosse (Jo 19.25-27). O evangelho segundo João traz verdades profundas a respeito de Cristo, apresentando-o como o Salvador do mundo e Filho de Deus (Jo 1.34).

Frequentemente se ouve alguém falar que esteve num evento e não presenciou ou não participou de algo que lá aconteceu. Talvez tenha saído pela pressa ou por outros motivos, mas saiba que existem eventos que são únicos, totalmente singulares e por motivos circunstanciais eles não se repetem jamais. Um ditado popular diz que a água que passa debaixo da ponte, não volta mais.

Perceba que João e Pedro foram chamados por Maria para irem até o sepulcro onde estava o corpo de Jesus (Jo 20.2). No local eles adentraram no sepulcro e não achando o corpo, resolveram voltar para suas casas. Compreenda que eles tinham estado com Cristo durante todo seu ministério, tinham escutado ele dizer sobre a sua morte e ressurreição, mas naquele momento ao verem o túmulo vazio, esqueceram-se das palavras que Jesus havia declarado. Entenda que a pedra do sepulcro foi retirada por anjos não para que Jesus saísse, mas para que João e Pedro e Maria entrassem no túmulo vazio e comprovassem que Cristo tinha sido mesmo ressuscitado. Reflita isso!

Saindo do sepulcro, pode-se imaginar sobre o que Pedro e João conversaram no caminho de volta para suas casas e até mesmo o que eles disseram aos outros discípulos que ficaram aguardando instruções. O certo é que eles tomaram uma decisão natural de voltar para suas casas, quando deveriam decidir espiritualmente e permanecer ali com Maria. De maneira semelhante, veja que isso é exatamente o que acontece nos dias de hoje. Muitos estão nas igrejas de forma natural, sem um comprometimento espiritual plenamente estabelecido para um encontro com Cristo. E, infelizmente, é justamente por meio de comportamentos naturais que essas pessoas perdem o privilégio de ouvir Cristo chamarem pelos seus nomes. Muitos estão desanimados e não compreendem a necessidade de permanecerem e se deixam levar pelas vontades pessoais. Desistem com muita facilidade e voltam para suas casas sem participarem de um encontro com Cristo. Reflita isso!

Os discípulos foram embora, mas Maria permaneceu (Jo 20.11). E permanecendo nas proximidades do sepulcro, ela viu perplexa, aquele que morreu e ressuscitou chamar pelo seu nome (Jo 20.16). Imagine o que deve ter passado na mente dessa mulher ouvir a voz do próprio Jesus. Pode-se supor que seu coração disparou, sua adrenalina subiu, suas pernas tremeram e sua voz ficou embargada, mas a alegria de ouvir a voz de Jesus suplantou tudo isso. Entenda que ela permaneceu e foi presenteada com o chamado de Cristo em viva voz. Saindo do local, Pedro e João tiveram que se contentar em escutar da própria Maria o encontro que ela teve com Cristo, algo que somente ela viu e escutou. Não haveria uma segunda oportunidade. Quem ficou viu e quem foi embora não verá jamais. Atente sobre isso!

Transporte isso para nossos dias. Muitos estão fisicamente nas igrejas, mas seus espíritos estão distantes, estão perdendo a oportunidade de assim como Maria, sentirem e ouvirem a voz de Deus, quando ELE se manifestar.  Maria decidiu pelo espírito em permanecer no sepulcro, enquanto João e Pedro saíram e jogaram fora a excelente oportunidade de serem citados - junto com Maria - na primeira aparição de Jesus ressurreto. Incrível como eles perderam a chance de acelerar as batidas do coração e sentir subir a adrenalina, quando decidiram voltar para suas casas. Era para ficar, mas eles foram embora!

Compreenda que Maria permaneceu, não teve pressa e foi privilegiada em ter um encontro fantástico com Cristo. Noutras palavras, saiba hoje e sempre que há momentos que são únicos e não voltam mais, amém?

Jesus Cristo Filho de Deus os abençoe, sempre!

 

Milton Marques de Oliveira - Pr

Ler 498 vezes
Mais nesta categoria: « ALEGRIA ORAÇÃO E AÇÃO! »

Comentários   

+2 # SINVALDO Novais 09-05-2018 22:28
Verdade temos que saber esperar
A paciência e uma virtude
E o tenpo e de Deus
Responder | Responder com citação | Citar
+2 # Alex 11-05-2018 05:38
Nesse Mundo atribulado dos dias de hoje, cada vez mais esta difícil encontrarmos, paciência, compaixão, só Deus para apaziguar.
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE